Coimbra  20 de Setembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Rally de Portugal veio para ficar em Coimbra, Lousã, Arganil e Góis

24 de Maio 2019

 

«Íï

Jorge Abreu (Aldeias de Xisto), Pedro Machado (Turismo do Centro), Carlos Barbosa (ACP), Manuel Machado (Coimbra), Lurdes Castanheira (Góis), Luís Paulo Costa (Arganil) e Luís Antunes (Lousã)

 

O Rally de Portugal, que vai ter a partida oficial no dia 30 de Maio, pelas 18h00, na Universidade de Coimbra, veio para ficar nos próximos três anos, segundo anunciou, hoje, a organização.

Carlos Barbosa, presidente do Automóvel Clube de Portugal (ACP), disse que o Rally, que vai ter provas especiais na Lousã, em Góis e Arganil, “não veio para tocar e fugir”, assegurando a realização da prova por mais três edições.

“Aqui temos gente de bem, temos uma recepção excepcional, provas especiais fabulosos e queremos manter a prova nos próximos anos”, declarou, com Carlos Barbosa a chamar a atenção para que os espectadores cumpram as normas de segurança, a fim de que o rali não seja retirado, mesmo com um “pequeno incidente”, da região e do país.

Os investimentos significativos feito pelas câmaras, designadamente na reabilitação de troços de vias e colocação rails de protecção, pela Turismo Centro de Portugal e rede das Aldeias do Xisto, para, 18 anos depois, a prova regressar à região, terão “um retorno quatro ou cinco vezes superior” ao dinheiro aplicado, sustentou Carlos Barbosa, referindo que a realização do rali envolve um custo superior a três milhões de euros.

“O investimento feito terá seguramente um retorno muito superior”, subscreveu o presidente da Turismo Centro de Portugal, Pedro Machado, destacando aspectos como o facto de a competição ser acompanhada por mais de uma centena de televisões dos mais diferentes países.

Hoje, na Câmara conimbricense, foi assinado o contrato-programa para apoio à realização do Rally de Portugal com o ACP, que envolve os municípios de Coimbra, Lousã, Góis e Arganil, a Turismo do Centro e a Agência para o Desenvolvimento das Aldeias de Xisto, com estas entidades a contribuírem com um total de 600 000 euros.

Os autarcas destacaram que os reflexos da competição irão sentir-se nos seus territórios, com Manuel Machado a destacar que “este tipo de eventos é muito importante para a região, não só pelos seus efeitos directos e imediatos, mas também pelas suas repercussões a médio e longo prazo”. “Mas para que o rali, que é um reflexo dessa aposta, possa trazer todas as contrapartidas para a região, é necessário que seja uma festa e que “corra na perfeição, que não haja contratempos e, portanto, que ninguém corra riscos e arrisque (em relação à segurança)”, apelou.

No dia 31 de Maio o Rally parte de Coimbra, pelas 08h30, para as provas especiais que se desenrolam nos outros três concelho.

Para assinalar o regresso do Rally de Portugal aos pisos de terra de Arganil, a Câmara Municipal e a Tavolanostra, em parceria com o Turismo do Centro de Portugal e o ACP, apresenta um espectáculo de vídeo ‘mapping’ histórico, imersivo e interactivo, que fará uma viagem ao Rally de Portugal a partir de Arganil.

O evento, de entrada livre, tem lugar na Antiga Cerâmica Arganilense no dia 30 de Maio, a partir das 22h00, com os 80 metros da fachada do edifício a ganharem vida graças aos 12 projectores que vão ser instalados para mostrar a viagem do Rally de Portugal desde os anos 60 até à actualidade.

No total serão três sessões de 12 minutos cada, intercaladas por muita animação no espaço frontal à Antiga Cerâmica Arganilense.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com