Coimbra  24 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Rally de Portugal Histórico cumpriu percurso que ligou a Figueira e Viseu

7 de Outubro 2021 Jornal Campeão: Rally de Portugal Histórico cumpriu percurso que ligou a Figueira e Viseu

O Rally de Portugal Histórico cumpriu, ontem (6), a segunda de quatro etapas, com um percurso secreto que ligou a Figueira da Foz a Viseu, num total de 465,477 quilómetros e onde se incluíram 11 provas de classificação.

“O segundo dia de provas ficou marcado pela competitividade”, disse a organização, acrescentando que o itinerário incluiu a passagem por alguns dos emblemáticos locais onde se escreveu a história do Rally de Portugal, como Campelo, Castanheira de Pêra, Lousã, Aguieira, Mortágua, Caramulo ou Préstimo.

As 11 provas disputadas tiveram quatro vencedores diferentes, tendo a liderança sido assumida dupla francesa Yves Deflandre/Jennifer Hugo, “que, nas provas especiais da tarde, tornaram o seu Porsche 911 SC inacessível para toda a concorrência”. Apesar disto, a vitória está longe de estar fechada, uma vez que faltam cumprir 726,5 quilómetros até ao final da prova chancelada pelo Automóvel Club de Portugal.

Esta quinta-feira (7), entre as 08h00 e as 23h30, será disputada a terceira etapa da prova, com partida e chegada em Viseu.

“O Rally de Portugal Histórico evoca as origens e a mística das primeiras edições do Rally de Portugal, assumindo-se como uma das mais marcantes provas de Regularidade Histórica disputadas na Europa, com um percurso de 1.862 quilómetros, pelo centro e norte do país, com destaque para o reviver da noite de Sintra, no dia 8 de Outubro”, disse a organização.

A prova conta com a 63 equipas inscritas, das quais mais de 80% são estrangeiras, o que dá “ao Rally de Portugal Histórico uma projecção marcadamente internacional”, com participantes de nove nacionalidades diferentes – Portugal, Alemanha, Bélgica, Espanha, França, Letónia, Lituânia, Rússia e Suíça.

Como habitualmente, o percurso é secreto e selectivo, o que, segundo a organização, aumenta a dificuldade das equipas, postas à prova em competição de Provas de Regularidade Absoluta (PRA) e Provas Regularidade por Sectores (PRS), em estrada aberta ou kartódromos.