Coimbra  25 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Quem quer fazer a letra do hino do SNS?

12 de Março 2024 Jornal Campeão: Quem quer fazer a letra do hino do SNS?

A Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) lançou um concurso para a criação da letra do hino comemorativos dos 45 anos do Serviço Nacional de Saúde (SNS), com as propostas a terem de ser entregues até 30 de Abril.

A este concurso podem concorrer todos os interessados (um texto por cada pessoa), devendo a letra candidata ser inédita, escrita em língua portuguesa e em poesia, com cada texto a não exceder a dimensão de duas folhas A4. O endereço de mail para enviar as propostas é: atividades.srcom@omcentro,com .

Depois de escolhida, por um júri (até 20 de Maio), a letra vencedora será musicada pelo maestro Paulo Bernardino e o hino do SNS conhecido a 15 de Setembro, dia em que se assinalam os 45 anos do Serviço Nacional de Saúde. Será interpretado pelo coro da SRCOM, que poderá convidar outros coros a participar e por uma orquestra.

A escolha caberá a um júri que, para além do presidente da SRCOM, Manuel Teixeira Veríssimo, contará com Isabel Garcia (presidente da Liga dos Amigos dos HUC), Ana Paula Arnaut (catedrática da FLUC), Paulo Bernardino (maestro do coro da SRCOM), Teresa Sousa Fernandes (médica escritora) e Carlos Braz Saraiva (médico escritor).

 

Um SNS que funcione

e responda à população

 

Esta terça-feira, na apresentação da iniciativa, o presidente da SRCOM, Manuel Teixeira Veríssimo, deu a conhecer que a ideia da criação do hino nasceu em Setembro do ano passado, quando se assinalou o 44.º aniversário do SNS, que em Coimbra inclui a rega da oliveira, plantada no Parque Verde do Mondego.

“Queremos fazer algo diferente no dia em que se assinalam os 45 anos do Serviço Nacional de Saúde, o hino ao SNS não existe em Portugal e entendemos que deveria ser criado em Coimbra, cidade ligada à criação deste serviço nacional”, justificou o médico.

Manuel Teixeira Veríssimo diz ser um imperativo lutar por um SNS que “funcione bem e responda às necessidades das populações”. “A qualidade do SNS tem vindo a perder-se nos últimos anos, perante exigências diferentes, nomeadamente o envelhecimento da população”, referiu.

O presidente da SRCOM mostrou-se esperançado em que o Governo eleito no passado domingo possa “corrigir as lacunas do actual SNS”, que “não se soube adaptar e evoluir a novas exigências”. “Penso que essa adaptação poderia ter sido feita ao longo dos últimos 45 anos, mas não foi feita devidamente”, concluiu.

Ainda a propósito da iniciativa de criar um hino do SNS, Manuel Teixeira Veríssimo realçou que o Serviço Nacional de Saúde tem muita ligação a Coimbra, recordando duas personalidades que estiveram na sua génese: António Arnault e Mário Mendes.