Coimbra  23 de Maio de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

“Pura 2019” quer dar visibilidade a projectos de comunicação ambiental

13 de Maio 2019

O Convento de São Francisco, em Coimbra, acolhe, amanhã (14), o primeiro encontro de Educação Ambiental da cidade, a conferência “Pura 2019 – Comunicar como água”, promovido pela Associação Portuguesa de Distribuição e Drenagem de Águas (APDA), à qual pertence a empresa municipal Águas de Coimbra e a Águas do Centro Litoral.

O objectivo deste evento, dirigido a profissionais de comunicação, jornalistas, estudantes e técnicos de comunicação ambiental, é “dar visibilidade a ideias, acções de comunicação e projectos de referência nesta área”, revela a APDA.

Durante todo o dia serão discutidas várias vertentes da comunicação ambiental, desde “as acções de sensibilização ambiental dedicadas ao uso racional da água, à poluição do meio ambiente e, em particular, dos meios aquáticos, até às boas práticas de comunicação em temas como o saneamento”.

O programa inclui, até, a comunicação directa aos consumidores, como aquela que se faz através da factura, um momento que contará com a presença de João Torres, secretário de Estado da Defesa do Consumidor.

Ainda durante a manhã, também o secretário de Estado do Ambiente, João Ataíde, vai marcar presença durante um painel sobre a presença destas temáticas nos média, com a intervenção de jornalistas.

Uma das principais convidadas é Céline Hervé-Bazin, consultora em comunicação especializada sobre água e desenvolvimento sustentável, que conta com vários trabalhos e dissertações científicas sobre a “arte” da comunicação na água.

Outro nome de referência neste encontro é o de Laura Korčulanin, que irá apresentar o projecto que fundou; uma plataforma de consciencialização interdisciplinar que coloca em destaque o apelo urgente ao uso de inovações tecnológicas e uma reorganização social que conduza à reutilização de águas sanitárias e consequente redução do uso de água potável.

“No sector da água, em que a temática ambiental tem um papel preponderante, é fundamental garantir uma comunicação objectiva, clara e, sobretudo, consciente”, sublinha a APDA, ressalvando que “a inovação tecnológica, a evolução dos meios de comunicação e a diversidade de canais são factores que obrigam os profissionais de comunicação a uma maior eficácia, criatividade e objectividade”, pelo que a “comunicação ambiental exige, além disto, que a mensagem não seja apenas informativa, mas que seja mobilizadora e que induza a mudança de comportamentos”.

Na sessão de abertura, pelas 10h00, vão marcar presença Teresa Fernandes, coordenadora da Comissão Especializada de Comunicação e Educação Ambiental, APDA; J. Henrique Salgado Zenha, vice-presidente do Conselho Directivo, APDA; Carlos Cidade, vice-presidente da Câmara Municipal de Coimbra, e o secretário de Estado do Ambiente. Já no encerramento, previsto para as 17h20, vão estar presentes Maria José Batista, vice-presidente, APDA, e Miguel Correia, administrador da Águas de Coimbra.