Coimbra  27 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

PSP de Coimbra alerta para publicações falsas a circular nas redes sociais

1 de Outubro 2020 Jornal Campeão: PSP de Coimbra alerta para publicações falsas a circular nas redes sociais

Após ter conhecimento de várias publicações nas redes sociais (Instagram e Facebook) que davam conta de alegados crimes contra a integridade física e liberdade sexual em Coimbra, a Polícia de Segurança Pública (PSP) não confirma a veracidade das informações, nem tão pouco diz ter registo destas ocorrências.

“As publicações – cuja origem se desconhece – relatam que várias raparigas têm sido abordadas por rapazes armados com armas brancas que as tentam roubar, agredir, raptar e violar”, esclarece a PSP. Numa das publicações mais virais é dito que a situação se passa no D. Dinis, que a “rapariga conseguiu fugir com alguns cortes e fez queixa na PSP”, afirmando ainda que na Polícia ter-lhe-á sido dito que era “um caso de tráfico humano e o terceiro relato esta semana”. Numa outra publicação é mesmo referido que o crime seria para tráfico de órgãos.

Assim, “o Comando Distrital da PSP de Coimbra não confirma a veracidade destes relatos e não tem registo destas ocorrências nem de ocorrências semelhantes na sua área de intervenção, durante o período em apreço”, nota, alertando para o facto de “estas publicações não serem verdadeiras e terem o objectivo de criar o alarme social numa altura em que Coimbra volta a receber estudantes – e em que muitos deles chegam cá pela primeira vez”.

“Lembramos que sempre que estiver perante casos semelhantes, ou se for vítima dos mesmos, deve ligar 112 ou dirigir-se às instalações da força de segurança que mais lhe for conveniente e apresentar queixa para que seja possível desenvolver todas as diligências legalmente previstas”, explica a Polícia, garantindo que se mantém “atenta e vigilante, sempre presente, e ciente de que a missão é a de servir todos sem excepção, promovendo uma sociedade segura, tranquila e sustentável”.