Coimbra  19 de Setembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

PSD pede explicações sobre doentes de Psiquiatria nos CHUC

10 de Julho 2019

O grupo parlamentar do PSD pediu explicações ao Governo sobre as condições de internamento de doentes com problemas psiquiátricos graves no Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra (CHUC), foi hoje anunciado.

A iniciativa dos sociais-democratas surge depois da Secção Regional do Centro da Ordem dos Médicos (SRCOM) ter denunciado, na segunda-feira, o que diz ser a “realidade desumana” dos doentes de Psiquiatria do CHUC ao nível da higiene e alimentação por falta de condições de internamento.

Numa acção parlamentar, os deputados Adão Silva, Ricardo Baptista Leite, Fátima Ramos e Luís Vales questionaram, por escrito, a ministra da Saúde sobre “desde quando se verifica e se tem o Governo conhecimento da situação”.

“Que medidas tomou já o Governo para assegurar adequadas condições de internamento e de alimentação aos referidos doentes?”, pergunta o PSD, que pretende ainda saber “com que data ou datas se compromete o Governo, nos três meses que restam para o termo da actual legislatura, para a efectividade das medidas eventualmente já tomadas para assegurar condições mínimas de dignidade para os doentes em questão”.

Na segunda-feira, Carlos Cortes, presidente da SRCOM, acusou o CHUC de desvalorizar a saúde mental, argumentando que os doentes “passam vários dias na urgência” por não existirem condições de internamento e que “apenas comem bolachas, sopa e leite ou sumos”.

“Há inclusivamente doentes com critérios para internamento compulsivo e que permanecem vários dias no Serviço de Urgência” e outros, internados noutras enfermarias, “sem os devidos cuidados especializados”.

A denúncia tem por base um documento, dirigido, “face à gravidade da situação”, à Administração do CHUC, por cerca de 40 médicos do serviço de Psiquiatria, onde são enunciadas “as carências e as deficiências” existentes, nomeadamente relacionadas com a falta de vagas de internamento e com o perigo que aqueles doentes correm na urgência, onde ficam “mais vulneráveis” e desenvolvem complicações orgânicas com infecções hospitalares.

No entender do PSD, “esta é uma situação que, além de lamentável, se torna totalmente inaceitável na medida em que põe em causa a dignidade e a assistência aos referidos doentes, assim como a qualidade dos cuidados de saúde especializados que lhes são prestados”.

O presidente do Conselho de Administração do CHUC refutou as acusações da Ordem dos Médicos do Centro e de psiquiatras da instituição sobre a existência de doentes psiquiátricos maltratados.

Em declarações à agência Lusa, Fernando Regateiro rejeitou as críticas e frisou que “só muito excepcionalmente” os doentes ficam mais de 24 horas no Serviço de Urgência e que essas situações, “raras e excepcionais, são menos do que os dedos de uma mão”.

“Essas descrições [dos críticos] não correspondem à realidade”, assegurou Fernando Regateiro, adiantando que quem está no serviço de urgência “é porque tem de lá estar”.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com