Coimbra  24 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

PSD de Miranda do Corvo acusa ARS de “negligência” em relação ao Hospital Compaixão

22 de Novembro 2020 Jornal Campeão: PSD de Miranda do Corvo acusa ARS de “negligência” em relação ao Hospital Compaixão

A Concelhia de Miranda do Corvo considera “uma clara injustiça e um caso gritante de tratamento desigual” o facto de a Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC) continuar sem dar uma resposta em relação à não abertura do Hospital Compaixão, da Fundação ADFP, instalado também naquele concelho.

Nas palavras de Horácio Santos, presidente do PSD de Miranda do Corvo, a resposta da ARSC, em plena pandemia, de que “está há 18 meses a estudar os protocolos com o hospital (…) roçará a negligência”.

“Após longos meses de silêncio (…) a ARS do Centro decidiu tentar justificar a existência de um hospital fechado em plena pandemia. Quando o SNS dá claros sinais de ruptura qualquer justificação soa a desculpa de mau pagador”, nota o social-democrata, acrescentando que “perante milhares de cirurgias adiadas, milhares de doentes crónicos sem acompanhamento e com os internamentos e cuidados intensivos à beira do esgotamento, ter uma infraestrutura hospitalar encerrada por motivos políticos, deveria pesar na consciência de quem entrava o processo”.

E acrescenta que “apenas quando o líder do PSD, Rui Rio, falou no assunto e o mesmo foi levado à assembleia da república, a ARS veio justificar-se”.

O PSD daquele concelho critica o facto de estar em estudo os potenciais acordos entre o Ministério da Saúde e o Hospital, há ano e meio. “Vir agora dizer que só fazem protocolos com hospitais em funcionamento é algo que consideramos estranho. Qualquer protocolo tem pressupostos e data de entrada em vigor. É como arrendar uma casa: primeiro faz-se o contrato e depois ocupa-se a casa. Questionamos publicamente a ARS sobre se esta metodologia foi aplicada a todos os hospitais do sector público e social”.

“Consideramos que com esta atitude, a ARS prejudica fortemente Miranda do Corvo, os mirandenses e toda a população do Pinhal Interior”, recordando o PSD que a “abertura do hospital cria mais de 100 postos de trabalho e que inúmeras pessoas de Miranda e dos concelhos vizinhos poderiam evitar deslocações a Coimbra e fazer ali os seus exames e consultas de especialidade e sem pagar mais por isso”.

Horácio Santos afirma que “o PSD de Miranda do Corvo exige à ARS a celebração imediata dos protocolos, à semelhança dos que têm com outras entidades do sector social para que a instituição possa iniciar o processo de abertura do hospital”. “Não queremos justificações “injustificáveis” no Facebook. Queremos que os responsáveis pelas entidades tratem dos assuntos com o respeito, dignidade e importância que eles merecem”, conclui.