Coimbra  25 de Maio de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

PSD/Coimbra quer Conselho Nacional a debater nomes para Conselho do Estado e bancada

9 de Março 2022 Jornal Campeão: PSD/Coimbra quer Conselho Nacional a debater nomes para Conselho do Estado e bancada

O presidente da Distrital de Coimbra do PSD quer que o Conselho Nacional discuta as linhas estratégicas até à próxima liderança, definindo, por exemplo, o perfil das personalidades a indicar para o Conselho de Estado ou para a bancada.

Paulo Leitão enviou na terça-feira um requerimento ao presidente do Conselho Nacional para que a reunião da próxima segunda-feira, em Ovar (Aveiro), inclua um novo ponto na ordem de trabalhos: “análise e discussão das linhas estratégicas a adotar até ao próximo Congresso Nacional do PSD”.

O ainda deputado explica que as reuniões extraordinárias do Conselho Nacional – como é o caso da próxima – não prevêem um período antes da ordem do dia e por isso pediu a inclusão deste tema ao presidente do órgão, Paulo Mota Pinto, ainda sem resposta.

Por um lado, o líder da Distrital de Coimbra defende que o Conselho Nacional deve ser consultado sobre “o perfil das personalidades a indicar para o Conselho de Estado, bem como das restantes entidades a eleger pela Assembleia da República”.

“A título de exemplo parece-me completamente descabido que o Dr. Rui Rio se venha a indicar novamente para o Conselho de Estado, privando assim, muito provavelmente, o próximo líder de ter assento neste órgão, pelo calendário eleitoral que adoptou”, justifica.

Por outro lado, Paulo Leitão considera que o órgão máximo do partido entre Congressos “deverá pronunciar‐se sobre a eleição do Grupo Parlamentar e posições a adoptar sobre propostas de outros partidos de alteração ao Regimento da Assembleia da República, nomeadamente no que se refere ao regresso do modelo dos debates quinzenais com o primeiro-ministro”, que Rui Rio rejeita.

“Esta auscultação, debate e reflexão assumem especial importância dado o anúncio da saída do presidente do PSD, visto que apesar deste ter legitimidade formal para tomar decisões sobre os temas anteriormente elencados, esta não deverá ter influência na capacidade de fazer oposição da próxima liderança”, refere.

O Conselho Nacional extraordinário do PSD tem na agenda, por enquanto, apenas a aprovação da proposta da Direcção de antecipar as eleições directas para escolher o novo presidente do partido e a marcação do Congresso.

A proposta oficial de regulamentos e cronograma da Comissão Política Nacional (CPN) que será votada no Conselho Nacional só deverá ser conhecida no final desta semana.

No entanto, na reunião da CPN da passada quinta-feira, as datas em discussão passavam pelas balizas temporais que têm sido defendidas publicamente pelo presidente do PSD, Rui Rio, que quer ver a sua sucessão resolvida até ao final do primeiro semestre (entre final de Maio e meados de Junho).

A confirmar-se a instalação dos novos deputados em 28 de Março, a eleição da nova Direcção da bancada parlamentar do PSD e a indicação dos nomes do partido para o Conselho de Estado, órgão político de consulta do Presidente da República, decorrerão entre o final deste mês e meados de Abril, muito antes das directas que escolherão o próximo presidente do PSD.