Coimbra  22 de Abril de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

PSD acusa Câmara de Miranda do Corvo de ser o “pior exemplo nacional”

27 de Fevereiro 2021 Jornal Campeão: PSD acusa Câmara de Miranda do Corvo de ser o “pior exemplo nacional”

Em Assembleia Municipal, José Miguel Ferreira divulgou dados da Secretaria de Estado da Coesão Territorial em que Miranda do Corvo aparece como o pior concelho do país na execução dos Planos de Acção de Regeneração Urbana.

Para além do PARU foi dito que em relação aos restantes fundos comunitários estes têm uma taxa de concretização de 0%, contrastando com a média nacional de execução de 45%.

O líder do PSD na Assembleia Municipal alertou que o concelho já tinha sido “ o pior do distrito na execução de investimento” e classificou a situação como “verdadeiramente lamentável”, recordando as candidaturas perdidas para “a reabilitação da Zona Industrial da Pereira e o Parque Público Municipal “Jardim da Paz”.

O PSD acusou o Executivo de Miguel Baptista (PS) de “atrasar grosseiramente o concelho face aos territórios vizinhos”. “O aproveitamento de dinheiros europeus a fundo perdido é fundamental para dinamizar o município, ainda para mais num tempo de pandemia onde os recursos escasseiam como nunca”, considerou.

Na mesma reunião, o PSD criticou a falta de apoios ao comércio local em contexto pandémico.

José Miguel Ferreira lembrou que, por iniciativa do PSD, em Maio de 2020 foi aprovado na Câmara Municipal um apoio ao comércio local de aproximadamente 150 000 euros (Orçamento equivalente à Expo-Miranda) mas que “nunca se concretizou em nada”.

Situação que fez o líder da bancada do PSD recordar “a história” do parque de acolhimento animal”. “Prometido no Inverno de 2019 após um escândalo na CM TV, acabou por nunca acontecer”, referiu.

Na Assembleia Municipal, o PSD viria ainda a votar contra o aumento de chefias municipais proposto pelo PS (de 4 para 6). Pela voz de Nuno Lopes, os social democratas “não percebem a necessidade de aumentar a criação de lugares na Câmara a nove meses de eleições”.