Coimbra  4 de Dezembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

PS valoriza nova estação de Coimbra B e ataca voto contra da oposição

28 de Julho 2020 Jornal Campeão: PS valoriza nova estação de Coimbra B e ataca voto contra da oposição

A oposição no Executivo camarário votou contra o projecto de execução da nova estação ferroviária de Coimbra B, com o PS a considerar que a aprovação representa apanhar o comboio da modernização.

O voto contra do PSD (dois vereadores) e Somos Coimbra (também dois) foi justificado, essencialmente, por a nova estação de Coimbra B colocar a cidade “fora da rota da alta velocidade”, com a vereadora Paula Pêgo (independente, ex-PSD) a votar a favor em conjunto com os cinco autarcas do PS e a viabilizar a aprovação, enquanto o eleito da CDU votou contra, na linha da defesa da ferrovia e contra o MetroBus.

Para o presidente da Câmara, a estação Coimbra B vai ser renovada e transformada “num importante complexo intermodal para a região Centro. “O apeadeiro velho vai deixar de o ser”, salienta Manuel Machado.

Uma “votação histórica”, classificou o autarca, acrescentando que “este é um passo importante para a modernização da porta da cidade” e que “pela primeira vez o Orçamento do Estado tem financiamento para esta operação”, assim como “esta empreitada terá em consideração a integração plena com a interface do MetroBus”.

Apeadeiro velho

Para o presidente da Concelhia de Coimbra dos socialistas, Carlos Cidade, “27 de Julho de 2020 (ontem) é um dia marcado na história, com esta aprovação dos eleitos do PS e uma vereadora do PSD, por iniciar a devolução da dignidade a um espaço que apelidámos de ‘apeadeiro velho’ por ter nas últimas décadas perdido qualquer ‘comboio’ da modernização dos transportes ferroviários”.

“A oposição preferiu ficar do lado negro da história, continuando as narrativas gastas de que nunca chega, nunca nada é suficiente preferindo chumbar a reabilitação da Estação por quererem esperar pela última moda ou pelo dia em que eles estejam no poder. Na narrativa são os defensores da cidade, na iniciativa são contra tudo o que se faz para a melhorar”, refere o PS.

“Já sabemos que dirão que esta obra é uma pintura de fachada eleitoral, mas alguém acredita que um novo espaço com acessos viários e pedonais, incluindo passagem inferior para passageiros, escadas rolantes e elevadores, novas bilheteiras e salas de espera, áreas comerciais, sanitários, novas coberturas e a reformulação do layout ferroviário para acomodar os serviços que hoje vão a Coimbra A, é uma pintura de fachada?” – questiona da liderança concelhia do PS.

E a alta velocidade?

Por parte da oposição no Executivo camarário, ontem, na reunião da edilidade, o vereador Paulo Leitão, do PSD, considerou que esta remodelação de Coimbra B “colide com o que está previsto nas infraestruturas inscritas em PDM” onde está assinalado o traçado da linha de alta velocidade.

Na declaração de voto, os dois eleitos do PSD (Paulo Leitão e Madalena Abreu) referiram que estão conta a reestruturação da Estação Velha porque “não se trata de uma verdadeira gare intermodal para Coimbra”.

Para José Manuel Silva, do Somos Coimbra, “a aceitação da manutenção da localização da Estação de Coimbra B no sitio actual, por parte da Câmara, mata qualquer possibilidade de Coimbra vir a ser paragem para a alta velocidade, dando-a de mão beijada a Aveiro”. “É o Partido Socialista e todos os que não votarem contra esta proposta que estarão, mais uma vez, a abortar o desenvolvimento de Coimbra, ao aceitar uma solução minimalista e sem qualquer perspectiva de futuro” – acrescentou, com a vereadora Ana Bastos a defender que a cidade “merece e precisa de uma estação intermodal”.