Coimbra  12 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

PS de Coimbra acusa autarca de incitar à desordem pública com declarações sobre IP3

15 de Outubro 2023 Jornal Campeão: PS de Coimbra acusa autarca de incitar à desordem pública com declarações sobre IP3

O PS acusa o presidente da Câmara de Coimbra de incitar à desordem pública e manifesta “veemente repúdio” pelas declarações que sugerem cortar a A1 e a Linha ferroviária do Norte para forçar a transformação do IP3 em auto-estrada.

“Verdadeiramente não é nada de novo, antes sim mais um ‘fait divers’ de provocação ‘populista’ do senhor presidente José Manuel Silva, visto que já no passado dia 4 de Julho fez semelhantes e indignas declarações em pleno feriado municipal de Coimbra”, acusa o Partido Socialista (PS) de Coimbra, numa posição divulgada este domingo, assinado pelo presidente local do partido e deputado, Ricardo Lino.

Em declarações à Lusa no sábado, o presidente da Câmara Municipal de Coimbra, José Manuel Silva, desafiou os autarcas da região e de Viseu ao corte da A1 Lisboa – Porto e da Linha do Norte para que o Itinerário Principal 3 (IP3) seja transformado em auto-estrada.

“Infelizmente, os autarcas desta região ainda não se motivaram suficientemente – e por isso têm responsabilidades naquilo que se passa – para aceitar o desafio da Câmara Municipal de Coimbra, que é juntarmo-nos todos e sermos consequentes nas nossas ações reivindicativas, cortando o trânsito na linha [ferroviária] do Norte e na Autoestrada 1”, disse.

Em reacção, o PS Coimbra sublinha que o projecto está em curso, tendo o concurso público para a obra sido aberto em 17 de Julho, insistindo na acusação a José Manuel Silva de “preferir os ‘fait divers’ políticos”.

“O senhor presidente José Manuel Silva sabe que a obra de requalificação do IP3 está em curso, mas prefere os ‘faits divers’ políticos para desviar atenções sempre que o Governo suportado pelo PS na Assembleia da República apresenta ‘boas novas’ para Coimbra. Em Julho terá sido o lançamento do concurso do IP3 e agora, em Outubro, o investimento de 17 milhões de euros previstos no Orçamento do Estado para a construção do novo Palácio da Justiça de Coimbra…”, acusa o PS.

O PS afirma ainda não confundir “boas novas com boas festas” e acusa José Manuel Silva de se ter inspirado para as suas declarações nos “invasores bolsonaristas do Senado brasileiro”, recomendando ao autarca “uma sensata leitura” do artigo 330.º do Código Penal relativo ao incitamento à desobediência civil.

O texto socialista conclui lembrando ao autarca que “tem a obrigação de respeitar as ‘competências legais de segurança e proteção civil’ que lhe são atribuídas enquanto presidente da Câmara Municipal”, acusando-o de “descaramento reiterado e propositado de desrespeito pelos pressupostos legais”, o que leva o PS Coimbra “a concluir pela sua total impreparação com atitudes indignas do cargo que ocupa”, defendendo que “Coimbra merece melhor”.