Coimbra  25 de Janeiro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Proposta uma zona de protecção da igreja de Santo António dos Olivais

18 de Dezembro 2019

A Direcção-Geral do Património Cultural (DGPC) propôs a fixação de uma Zona Especial de Protecção da igreja de Santo António dos Olivais, em Coimbra, edifício já classificado como imóvel de interesse público.

O anúncio, publicado hoje em Diário da República, propõe à Secretaria de Estado da Cultura a fixação de uma Zona Especial de Protecção (ZEP) da igreja de Santo António dos Olivais, “com seu adro, escadório e capelas”, no largo do Padre Estrela Ferraz.

A proposta é sustentada por um parecer da secção do Património Arquitectónico e Arqueológico do Conselho Nacional de Cultura, de 19 de Junho, decorrendo agora um período de 30 dias úteis de consulta pública do projecto.

A igreja está classificada como imóvel de interesse público desde 1963.

De acordo com a página da Internet da DGPC, a igreja impõe ao espaço “uma cenografia barroca, própria das igrejas de peregrinação setecentistas”.

Naquele lugar, há referência de uma capela dedicada a Santo Antão, pelo menos desde o século XIII, e ali foi fundado um convento de franciscanos, nesse mesmo século.

A capela, entretanto dedicada a Santo António, sofreu uma ampliação no século XV, voltando a sofrer nova intervenção arquitectónica no período barroco, “que lhe conferiu o aspecto actual”.

Com a extinção das ordens religiosas, o Convento foi vendido e acabou por desaparecer vítima de um incêndio em 1851, sendo que do antigo complexo conventual apenas subsistiu a igreja, refere a DGPC.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com