Coimbra  30 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Projecto da Cáritas de Coimbra para promover cidadania activa lança website

20 de Outubro 2020 Jornal Campeão: Projecto da Cáritas de Coimbra para promover cidadania activa lança website

O “Triplo D” é um projecto que está a ser implementado pela Cáritas Diocesana de Coimbra, desde Julho de 2019, com o objectivo de aumentar o envolvimento democrático e a participação política dos cidadãos, tendo agora um website.

A iniciativa tem por base as ligações entre democracia, demografia e direitos humanos. É um projecto financiado pelo Programa Cidadãos Ativ@s (2018-2024), no âmbito do Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu – EEA Grants, que está a ser gerido em Portugal pela Fundação Calouste Gulbenkian (FCG), em parceria com a Fundação Bissaya Barreto (FBB). Conta com três grandes parceiros: Instituto Europeu de Ciências da Cultura Padre Manuel Antunes (IECCPMA), European Centre for Women and Technology (ECWT) e o Agrupamento de Escolas da Lousã (AEL).

O novo website surge como uma nova plataforma física do projecto e será uma ferramenta de ligação com a comunidade e o seu público-alvo.

Desde o lançamento do projecto têm sido desenvolvidas várias sessões de educação/formação e grupos de discussão escolar e comunitária, procurando educar e fortalecer a cultura dos direitos humanos, cidadania activa e participativa de profissionais, agentes comunitários, crianças e jovens, pessoas em situação de vulnerabilidade e pessoas idosas. Neste sentido, pretende-se transformar os grupos-alvo em promotores e agentes da mudança e da decisão política.

O website do “Triplo D”, https://triplod.caritascoimbra.pt/, será uma das interfaces de ligação da iniciativa com os grupos alvo e a comunidade, procurando manter uma actualidade a nível dos conteúdos e das actividades do projecto.  Está estruturado de forma a que haja uma interação intuitiva e fluída.

Na era do digital, esta será uma oportunidade de construir uma comunidade mais consciente do seu papel enquanto cidadãos de pleno direito, em direitos e deveres.