Coimbra  18 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Prisão efectiva para homem que ateou fogo a carro da Queima das Fitas de Coimbra

14 de Junho 2023 Jornal Campeão: Prisão efectiva para homem que ateou fogo a carro da Queima das Fitas de Coimbra

O Tribunal Judicial de Coimbra condenou a quatro anos e meio de prisão o homem que ateou fogo a um carro que integrava o cortejo da Queima das Fitas de Coimbra, anunciou hoje a Procuradoria da Comarca.

Numa informação disponibilizada no seu sítio na Internet, a Procuradoria da República da Comarca de Coimbra referiu que o Ministério Público do Juízo Local Criminal de Coimbra apresentou a julgamento em processo sumário, em 06 de Junho, um detido de 30 anos, “pela prática de um crime de incêndios, explosões e outras condutas especialmente perigosas, e de um crime de resistência e coacção sobre funcionário”.

“O Tribunal considerou provados todos os factos descritos na acusação, que o arguido confessou integralmente, condenando-o na pena única de quatro anos e seis meses de prisão”, adiantou a Procuradoria.

No dia 23 de Maio, o arguido, “munido de um isqueiro, ateou fogo ao revestimento, composto por papel e plástico, de um dos carros que integrava o cortejo” e, dado que esse revestimento era de fácil combustão, “o incêndio progrediu rapidamente, tendo ardido a parte de trás do carro, no qual eram transportados cerca de 20 estudantes universitários”.

O incêndio foi prontamente extinto devido à “rápida intervenção dos bombeiros e do auxílio de alguns estudantes”, esclareceu a Procuradoria.

Após ter ateado fogo ao veículo, o arguido, que está detido preventivamente, colocou-se em fuga e, quando um agente policial o conseguiu alcançar, molestou-o fisicamente, “causando-lhe lesões que lhe determinaram 10 dias de incapacidade para o trabalho”.

“Intervieram, ainda, na imobilização do arguido outros dois agentes de autoridade, a quem aquele atingiu com pancadas para tentar evitar a acção policial”, acrescentou a Procuradoria.

O arguido, com antecedentes criminais pela prática de diversos crimes, incluindo roubo, já cumpriu pena de prisão efectiva.

A sentença, proferida na segunda-feira, ainda não transitou em julgado.

No dia 24 de Maio, a Polícia de Segurança Pública (PSP) anunciou ter detido um homem suspeito de ter ateado fogo, com recurso a um isqueiro, ao carro de curso n.º 37, que integrava o cortejo da Queima das Fitas de Coimbra.

O suspeito foi detido na Praça da República, em Coimbra, após um alerta efectuado por um estudante.

Numa nota de imprensa então divulgada, a PSP informou que “interceptou de imediato o suspeito que, na tentativa de evitar a detenção, reagiu de forma violenta, provocando a queda do efectivo policial, da qual resultaram várias lesões físicas, tendo havido necessidade de receber tratamento hospitalar”.

No decurso dos procedimentos que conduziram à detenção do suspeito, foi necessário recorrer ao uso de gás pimenta, devido ao “comportamento altamente violento e agressivo do homem”, acrescentou a PSP.

Nesta detenção colaborou um elemento da Guarda Nacional Republicana fora de serviço, que se encontrava a assistir ao cortejo.