Coimbra  24 de Fevereiro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Primeiro período escolar no Município de Cantanhede com balanço positivo

29 de Dezembro 2020 Jornal Campeão: Primeiro período escolar no Município de Cantanhede com balanço positivo

A principal conclusão tirada da reunião de avaliação do primeiro período escolar, no Município de Cantanhede, foi que este correu de forma positiva.

“Face às condições especialmente adversas que foi necessário contornar devido à pandemia de covid-19, o balanço da actividade escolar no Município de Cantanhede no primeiro período é extremamente positivo, tendo superado claramente as expectativas da generalidade dos agentes educativos”, revelou a autarquia.

A reunião de avaliação realizada contou com a presença do vice-presidente da Câmara Municipal, Pedro Cardoso, da delegada de Saúde, Rosa Monteiro, dos directores dos agrupamentos de escolas Lima de Faria, Marquês de Marialva e Gândara Mar, respectivamente José Soares, Fátima Simões e João Gomes, bem como do director da Escola Técnico-Profissional de Cantanhede, Carlos Sousa.

“A cultura de prevenção e as medidas implementadas nos estabelecimentos de ensino, sem se ter cedido ao alarmismo, geraram as condições de confiança desejáveis para “o sucesso educativo”, concluíram aqueles responsáveis, alertando no entanto para “a necessidade de haver uma atenção acrescida no retomar das actividades lectivas do segundo período, cumprindo e fazendo cumprir, se possível ainda com maior rigor, as normas de segurança”.

Pedro Cardoso, assinalou ainda “o bom resultado das estratégias adoptadas e do trabalho conjunto”, destacando a propósito “o papel importantíssimo dos professores, educadores e pessoal auxiliar, que nunca baixaram a guarda, e mesmo sujeitando-se a riscos, cumpriram exemplarmente a sua função, convictos de que o ensino presencial é a melhor forma de combater o aumento das desigualdades que o ensino à distância tende a acentuar”.

O vice-presidente da Câmara Municipal lembrou ainda que, “perante o cenário de Setembro, quando muitos vaticinavam o encerramento das escolas após duas ou três semanas, felizmente foi possível contornar as dificuldades com uma gestão adequada das situações, processo em que as escolas e respectivas direcções souberam estar à altura das exigências. Foram de facto inexcedíveis, quer na especialmente difícil tarefa de reorganização dos espaços escolares, de modo a serem escrupulosamente cumpridas as orientações da Direcção-Geral da Saúde, quer fazendo respeitar as medidas de distanciamento físico, higiene das mãos, utilização de máscara e etiqueta respiratória, quer ainda na definição dos planos de contingência e dos fluxos de comunicação quer com a delegada de Saúde quer no âmbito das comunidades educativas”, sublinhou.

Para o autarca responsável pelo sector da educação, “a promoção de comportamentos preventivos, a articulação e cooperação entre as diferentes entidades, a mobilização da comunidade escolar para a sua prática e a organização de mecanismos de controlo das cadeias de transmissão continuam a merecer a maior atenção e empenho de todos para ver se conseguimos de novo no segundo período não ter nenhum surto”.

Também abordada na reunião foi a necessidade de se agilizarem mecanismos tendentes a evitar a proliferação de ‘fake news’ ou exageros potencialmente geradores de alarmismo, o que deverá passar pelo reforço dos canais de comunicação através de interlocutores de referência entre os diferentes agentes da comunidade educativa, processo em que a delegada de Saúde, aquando da identificação de um caso de covid-19 suspeito e/ou confirmado, tem tido um papel crucial. Foram ainda simulados vários exercícios de antecipação dos diferentes cenários que podem ocorrer no contexto escolar, para sinalizar algumas fragilidades nos mecanismos de comunicação.