Coimbra  5 de Agosto de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Previsto pagamento este mês de retroactivos a enfermeiros do Hospital de Cantanhede

14 de Julho 2021 Jornal Campeão: Previsto pagamento este mês de retroactivos a enfermeiros do Hospital de Cantanhede

O Hospital Arcebispo João Crisóstomo (HAJC), em Cantanhede, prevê pagar este mês os retroactivos aos enfermeiros que progrediram na carreira, revelou hoje o PCP, que tinha questionado a tutela sobre esta matéria.

“Relativamente aos retroactivos da segunda fase do descongelamento das carreiras, informa o HAJC [Hospital Arcebispo João Crisóstomo] que está prevista a regularização dos valores em falta (…), ainda no decurso do corrente mês de Julho, já que foi autorizado o correspondente reforço financeiro por despacho do senhor secretário de Estado da Saúde”, lê-se na resposta do gabinete da ministra da Saúde, Marta Temido.

Através de uma pergunta entregue no parlamento em Junho, o Partido Comunista Português questionou a ministra da Saúde após ter tido conhecimento de que “cerca de 20 enfermeiros que trabalham no Hospital de Cantanhede não estão a ser devidamente remunerados por via da progressão na carreira”.

“Em 2018, por via do descongelamento das progressões na carreira na Administração Pública, foram atribuídos pontos a este conjunto de enfermeiros, fazendo-os avançar na tabela salarial da carreira de enfermagem. Apesar desta progressão na carreira, justamente alcançada, o Hospital de Cantanhede nunca procedeu aos pagamentos devidos”, lê-se no documento subscrito por três deputados comunistas.

O PCP considerava “essencial desbloquear as verbas necessárias para responder a esta situação, repondo a justiça, pagando o que é devido a estes trabalhadores e garantindo o justo e atempado pagamento”.

“A valorização salarial destes trabalhadores é urgente e essencial, sendo também urgente que o que já está vertido em lei seja também realidade e que os valores em falta sejam pagos a estes trabalhadores com a maior brevidade”, sustentaram os deputados.

No documento, o PCP perguntou ao Governo, liderado pelo socialista António Costa, sobre que medidas iria tomar “para resolver a falta de verba desta instituição para cumprir a lei” e quando “serão estes trabalhadores ressarcidos pelos valores em falta”.

Na resposta do gabinete da ministra hoje conhecida, o hospital informa ainda que “os 17 enfermeiros em apreço estão a ser remunerados de acordo com a actualização vigente desde o dia 01 de Janeiro de 2020”.

O secretariado da Organização Regional de Coimbra do PCP assinala que “este justo procedimento apenas peca por tardio”, prometendo “acompanhar a situação, nomeadamente a concretização da medida anunciada, e a intervir no sentido de assegurar e fazer cumprir os direitos de todos os trabalhadores do Hospital de Cantanhede”.

Segundo o PCP, os montantes em falta eram, no mês passado, cerca de 40 mil euros.