Coimbra  6 de Março de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Presidenciais: Afluência às 16h00 é a segunda mais baixa desde 2006

24 de Janeiro 2021 Jornal Campeão: Presidenciais: Afluência às 16h00 é a segunda mais baixa desde 2006

A afluência às urnas às 16h00 nas presidenciais de hoje em Portugal era de 35,4 por cento, a segunda mais baixa desde as eleições de 2006, ano em que este número passou a ser divulgado pela administração eleitoral.

Este valor só foi inferior em eleições presidenciais em 2011, quando a afluência às 16h00 foi de 35,1 por cento, e é 2,3 pontos percentuais abaixo das eleições de há cinco anos.

Nas presidenciais de 2016, que elegeram Marcelo Rebelo de Sousa, tinham votado 37,7 por cento até às 16h00, numas eleições em que a abstenção global subiu aos 51,3 por cento.

Em 2006, nas presidenciais ganhas por Aníbal Cavaco Silva, a afluência às urnas até às 16h00 foi de 45,7 por cento. A abstenção nestas eleições foi de 53,48 por cento.

Cinco anos depois, em 2011, da reeleição de Cavaco Silva, votaram, até às 16h00, 35,1 por cento dos eleitores. Nesse ano, 53,5 por cento dos eleitores não votaram.

Já a afluência às urnas às 12h00 nas presidenciais de hoje em Portugal, 17,07 por cento, é a segunda mais alta desde as eleições de 2006.

A administração eleitoral começou a divulgar em 2006, de forma sistemática, a afluência às urnas às 12h00 e às 16h00.

Cerca de 10 milhões de eleitores, mais 1,2 milhões do que em 2016, foram hoje chamados a escolher entre os sete candidatos a Presidente da República.

Nesta eleição há um aumento do número de eleitores, em grande medida devido ao recenseamento eleitoral automático dos emigrantes com cartão de cidadão válido, que decorre de uma mudança à lei, feita em 2018.

Em 2016, eram 228 822 os eleitores inscritos no estrangeiro e este ano esse número subiu para mais de 1,5 milhões. O fraco nível de participação eleitoral dos emigrantes poderá, mantendo-se o mesmo comportamento eleitoral, fazer aumentar a taxa de abstenção nestas eleições.

As urnas fecharam às 19h00 mas, um pouco por todo o país, e devido às filas que existiram há ainda portugueses, em Portugal Continental, à espera para votar. Nos Açores, a votação encerra apenas às 20h00.

Há projecções que indicam que a abstenção este ano poderá chegar aos 60 por cento.