Coimbra  19 de Julho de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Portugueses lideram projecto europeu para diagnóstico de doenças pulmonares

26 de Janeiro 2024 Jornal Campeão: Portugueses lideram projecto europeu para diagnóstico de doenças pulmonares

Ao longo dos próximos três anos e meio, o projecto AI4Lungs vai recorrer à Inteligência Artificial (IA) para “personalizar cuidados, optimizar recursos humanos, reduzir os custos e o tempo de diagnóstico de doenças ligadas ao pulmão”. Um dos projectos-piloto será em Portugal.

“Esta é a primeira vez que o Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC) lidera um projecto europeu de grande envergadura (6,9 milhões de euros) totalmente focado em doenças do foro pulmonar”, revela o INESC TEC. Na prática, a ideia passa por aperfeiçoar diagnósticos e tratamentos, através da integração de dados médicos, imagens e entradas inovadoras de estetoscópios digitais.

A nível nacional, o piloto será instalado no Centro Hospitalar de Vila Nova de Gaia/ Espinho (CHVNGE) e deverá também incluir a chamada “biópsia líquida”, uma técnica desenvolvida pelo Instituto de Investigação e Inovação em Saúde. “Ao desenvolver novas ferramentas de inteligência artificial, recorrendo a diferentes tipos de dados recolhidos na prática clínica, tais como auscultação pulmonar, raio-X, TAC, análises clínicas, dados demográficos e clínicos, por exemplo, o projecto será fundamental para apoiar os médicos durante o diagnóstico e tratamento do doente, de modo a tentar guiá-lo neste processo que muitas vezes pode ser moroso e com a necessidade de vários exames”, explica ainda o INESC TEC.

Projecto actua em duas frentes

De acordo com o investigador do INESC TEC responsável pelo projecto, Hélder Oliveira, “a ideia é que a partir do momento em que um doente tem alguma consulta, o sistema consiga apoiar todo o processo de estratificação e perceber o que é a doença e se é necessário fazer mais exames para a diagnosticar”.

Assim, o AI4Lungs actua em duas frentes: “por um lado, desenvolvendo tecnologias com vista à melhoria dos dispositivos que são usados no diagnóstico e, por outro, integrando todas as novas ferramentas numa única plataforma capaz de acompanhar toda a decisão clínica com o objectivo de tornar o processo mais rápido e menos exaustivo a nível de custos e de exames complementares”.

A iniciativa vai ainda utilizar duas tecnologias nunca antes usadas em projectos deste género. Uma delas é a auscultação digital e, a outra, a biópsia líquida. “Muitas vezes a biopsia líquida é utilizada quase sempre em cancros mais avançados e nós queremos introduzi-la na frente de ataque para perceber o tipo de cancro, em vez de se optar por dezenas de exames”, sublinha Hélder Oliveira.

O AI4Lungs iniciou-se a 1 de Janeiro e tem a duração de 42 meses. Este é o primeiro projecto na área da saúde liderado pelo INESC TEC, e conta com um orçamento total de 6,9 milhões de euros.