Coimbra  22 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Portugal é “padrasto” para os jovens

22 de Junho 2018 Jornal Campeão: Portugal é “padrasto” para os jovens

Dotados de mais formação do que os pais, os jovens, hoje em dia, ganham menos do que aquilo que era auferido pelos progenitores na idade deles, reconhece o Banco de Portugal.

Segundo a instituição, as novas gerações portuguesas estão a perder qualidade de vida, acentuando-se a referida desigualdade há, pelo menos, 15 anos a esta parte.

Trata-se da principal conclusão de um estudo publicado, quinta-feira (21), por economistas do Banco de Portugal, o qual tem por base inquéritos aos orçamentos familiares efectuados pelo Instituto Nacional de Estatística (recolhidos entre 2000 e 2015).

Outra conclusão é a de que estudar compensa – quem está habilitado com o ensino secundário ou possui formação superior apresenta, em média, rendimentos cinco vezes superiores e consumos três vezes maiores dos das restantes famílias.

No entanto, cada geração regride face à anterior. Um pai, licenciado, ganhava mais com a mesma idade e consumia mais do que o filho, também licenciado. Quando chegar à mesma idade, o irmão mais novo já não vai conseguir idêntico salário.