Coimbra  17 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Politécnico de Coimbra inicia projecto “Link me UP – 1000 ideias”

1 de Abril 2021 Jornal Campeão: Politécnico de Coimbra inicia projecto “Link me UP – 1000 ideias”

O Politécnico de Coimbra (IPC) está a desenvolver o projecto “Link Me Up – 1000 Ideias, sistema de apoio à cocriação de inovação, criatividade e empreendedorismo”, com o objectivo de promover ecossistemas de inovação.

Para além promoção pretende fortalecer a colaboração entre a academia e as empresas através da facilitação de projectos que envolvem equipas multidisciplinares de estudantes, professores e organizações/empresas na resolução conjunta de desafios ou problemas reais dessas mesmas entidades.

A primeira edição deste projecto no Politécnico de Coimbra iniciou com a reunião de “kick off” que decorre até 28 de Maio, envolvendo 11 empresas/organizações desafiadoras e mais de 60 estudantes e 20 facilitadores/docentes.

Segundo o presidente do Politécnico de Coimbra, Jorge Conde, este projecto vai desafiar a todos, estudantes, professores e organizações, e os resultados devem ser aproveitados pela sociedade. “As empresas assumem aqui um papel preponderante, porque cada vez mais vamos criar conhecimento com as empresas e não transferir conhecimento. Hoje os investigadores são desafiados a aplicar o seu saber diretamente nos projectos que as empresas querem desenvolver”, refere. O responsável chama a atenção para a necessidade de as instituições de Ensino Superior “reinventarem a relação com as empresas” e frisa a importância do empreendedorismo para o IPC, dando como exemplo a acção de estruturas como o INOPOL, o Instituto de Investigação Aplicada (i2A) e o Gabinete de Interface com a Comunidade.

Este é um projecto em rede que agrega 13 instituições de ensino superior politécnico e diversos parceiros da rede de instituições de ensino profissional, que irá decorrer ao longo dos próximos três anos, e que tem o apoio financeiro do COMPETE/Portugal 2020.

Segundo Sara Proença, pró-presidente do IPC e coordenadora do projecto, esta iniciativa para além de acrescentar valor às organizações desafiadoras, traz diversas mais-valias para os estudantes , nomeadamente integrarem uma rede multidisciplinar, multicultural e internacional, a experiência de aprendizagem aplicada, contribuírem para a resolução de desafios reais em cocriação com empresas e organizações, adquirirem e desenvolverem competências transversais, a valorização do currículo, a possibilidade de obtenção de uma bolsa de apoio ao processo de cocriação no valor de 440 euros por estudante e de prémios monetários para os três primeiros classificados a nível nacional (5 000 euros, 3 000 euros, 1 500 euros ) e a possibilidade de participação em evento internacional de partilha de experiências de cocriação.