Coimbra  25 de Fevereiro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Poder Local: Presidente de Junta cancela ida à CMC

5 de Junho 2017 Jornal Campeão: Poder Local: Presidente de Junta cancela ida à CMC

O presidente da Junta de uma União de Freguesias cancelou a inscrição para intervir, hoje, na sessão pública mensal da Câmara Municipal de Coimbra, disse fonte autárquica ao “Campeão”.

Sem resposta proveniente da praça de 08 de Maio, o líder da União de Freguesias de Trouxemil e Torre de Vilela, Ricardo Rodrigues (PSD), fez saber, “por uma questão de orgulho pessoal e institucional”, não ir “sujeitar-se, mais uma vez, a ser enxovalhado publicamente”.

O autarca, que já afirmou preferir pertencer ao Município da Mealhada, esperou, em 2014, durante quatro horas para intervir numa reunião da CMC e acabou por não ter sido autorizado.

Como assinalou, recentemente, o nosso Jornal, a trégua no relacionamento conflitual entre o presidente da Câmara de Coimbra (PS) e o seu congénere da Junta da União de Freguesias de Trouxemil e Torre de Vilela (UFTTV) foi “Sol de pouca dura”.

Um «machado de guerra» tem avultado no relacionamento entre o líder do Município de Coimbra, Manuel Machado, e o presidente da outra autarquia, Ricardo Rodrigues.

Depois de, em Maio de 2016, o “Campeão” haver dado notícia do alegado enterro do “machado de guerra” inerente ao relacionamento entre o líder do Município de Coimbra e a Junta da UFTTV, Ricardo Rodrigues requereu ser ouvido na sessão camarária de carácter público realizada em Junho.

Mas o presidente da Junta da UFTTV (PSD) não se ficou pelo propósito de voltar a rumar à praça de 08 de Maio. O autarca convidou o líder do Município, Manuel Machado (PS), e a vice-presidente da Câmara, Rosa Reis Marques, no sentido de se deslocarem a Trouxemil e Torre de Vilela.

Em causa está a tardia outorga de contratos interadministrativos entre a Câmara conimbricense e a Junta da UFTTV, alegando Ricardo Rodrigues que “parece pairar alguma falta de informação sobre a verdade dos factos”.

Manuel Machado já deu sinais de se empenhar na resolução do diferendo, mas tem prevalecido um ou outro percalço a que talvez o edil seja alheio.

Na ocasião mais conveniente para os edis socialistas, o autarca social-democrata faz questão que eles “possam ver com os próprios olhos e não com os de terceiros (por vezes, menos atentos, distraídos e selectivos) as verdadeiras pretensões e necessidades das gentes” de Trouxemil e Torre de Vilela.