Coimbra  23 de Outubro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Pinhal: Penela vai integrar rede de territórios resineiros

14 de Maio 2018 Jornal Campeão: Pinhal: Penela vai integrar rede de territórios resineiros

O Município de Penela vai integrar uma rede de territórios resineiros, iniciativa da União Europeia relativa à cooperação transnacional sobre o ordenamento do território e desenvolvimento regional.
O projecto visa implementar uma estratégia e uma rede de colaboração para garantir a multifuncionalidade, conservação e emprego no território do Sul da Europa, através da extracção de resina em pinhais.
Segundo a Câmara Municipal penelense, com esta iniciativa, pretende-se que os territórios produtores de resinas naturais se unam através do impulso gerado pela nova bioeconomia, geradora de emprego local e produtora de matérias-primas de alto valor tecnológico.
O arranque da Rede Europeia de Territórios Resineiros ocorreu, há dias, em Valladolid, Espanha, numa reunião de lançamento do projecto, onde foi definida a estratégia de implementação e as próximas tarefas atinentes aos parceiros envolvidos.
Portugal foi um dos três maiores produtores mundiais de resina, nos anos 80 [do século XX], mas a actividade sofreu decréscimo face à concorrência brasileira e chinesa, havendo, hoje em dia, alguns sinais de recuperação. Actualmente, Portugal é um dos maiores importadores de resina do Brasil e da China.
A Resipinus – Associação de Destiladores e Exploradores de Resina, um dos parceiros do projecto, está a trabalhar no sentido de profissionalizar este sector que em Portugal apresenta várias dificuldades, nomeadamente a escassa formação técnica, o desconhecimento das pessoas ao nível das inúmeras aplicações industriais da resina e a diminuição significativa da área de pinhal.
Para a associação, a floresta tem de ser encarada como uma fonte de rendimento multi-sectorial. De acordo com um responsável da Resipinus, “a floresta tem de viver de vários produtos e não só da madeira, isto porque estar dependente só de um produto é limitativo em caso de incêndio, por exemplo”.