Coimbra  20 de Setembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Penela regressa ao tempo do Infante D. Pedro de Avis

24 de Maio 2019

O castelo e o centro histórico da vila de Penela vão regressar à Idade Média, este fim-de-semana, com a tradicional Feira Medieval, organizada pela Câmara Municipal de Penela, o Agrupamento de Escolas Infante D. Pedro e a respectiva associação de pais.

O evento, que aproveita o cenário original de tempos idos, vai proporcionar um regresso ao passado, através de várias recriações históricas e animações ao vivo, cujo tema central da edição deste ano será “O Infante D. Pedro de Avis (1392-1449)”.

O programa desta 25.ª edição é vasto e recheado de actividades para miúdos e graúdos, onde a gastronomia, tradições e actividades da época não faltarão.

Luís Matias, presidente da Câmara de Penela, salienta a importância do certame para o concelho, dizendo que “mais do que a promoção e valorização do património, é a forma como se envolve a comunidade educativa e desenvolve a auto-estima”, sublinhando que este certame “assenta num modelo consolidado de funcionamento e valorização do que é o nosso património”.

A par disto, o cenário envolvente do castelo e o envolvimento de todos ao participantes é algo de salientar, visto que é “vivido pelos pais e pelos alunos e que os orgulha, porque a Câmara tem um papel de coordenação, mas na verdade é a capacidade de realização da comunidade que impera”, destaca o autarca.

“A feira medieval já faz parte do próprio percurso de aprendizagem dos alunos”, nota Luís Matias.

A programação tem, então, início no sábado (25), sob o tema “O Infante das Sete Partidas”, pelas 12h00, com o auto de abertura do mercado com exposição de artefactos bélicos, panejamentos e acampamento castrense; segue-se os ‘comeres e beberes’ com sabores de antanho nas tabernas e, depois, durante toda a tarde, realizam-se actividades como a visita do meirinho e do almotacé às tendas dos mercadores; espionagem, boatos e pedidos de casamento; o cortejo do Infante D. Pedro; jogos; ordenação dos cavaleiros para a viagem das ‘sete partidas’; danças mouriscas; manjares de petiscos; bailias e folias e um dos pontos altos, que será a recriação do assalto ao castelo. Segue-se, pelas 23h00, a ‘Carta de Bruges’, ‘Mare tenebrum’ e a ronda dos beleguins para encerramento dos festejos.

No domingo (26), o tema é “O Regente do Reino” e as actividades começam, também, às 12h00, com o início dos folguedos e a arruada de trovadores. Logo às 12h30, realiza-se a ‘Leitura da Carta de Feira e Bênção do mercado’ e depois dos ‘comeres e beberes’ tradicionais nas tabernas, haverá bailias e folias.

Pelas 15h00, realiza-se a afronta de D. Afonso, Duque de Bragança e meia hora mais tarde é o Duque de Coimbra que toca a rebate para que se reúnam as hostes, seguido da exaltação dos ideais de D. Pedro de Aviz pelos “gambuzinos”. O resto da tarde será preenchida com danças mouriscas, jogos, a ordenação de cavaleiros e infanções, o adubamento de cavaleiros para a Guerra Civil e a batalha de alfarrobeira. Pelas 19h00, o rito de encerramento dos festejos e folguedos antecipa-se à selagem das pipas em homenagem às hostes do ducado de Coimbra.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com