Coimbra  20 de Agosto de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

PCP realça que os Covões receberam grávidas nos cuidados intensivos

8 de Agosto 2019

O PCP de Coimbra anunciou, hoje, que ocorreram diversas transferências de pacientes puérperas da Maternidade Daniel de Matos para os Cuidados Intensivos do Hospital dos Covões, ao contrário da habitual orientação para o pólo HUC.

“Após estabilização nos Cuidados Intensivos do Hospital dos Covões dos diferentes quadros clínicos de que padeciam, todas as pacientes regressaram melhoradas à unidade de origem com condições para ter alta clínica”, refere o Organismo de Direcção de Coimbra da Administração Pública Central do PCP.

Estas transferências, durante a última quinzena de Julho, “terão ocorrido durante o período em que a Medicina Intensiva do pólo HUC teve a sua capacidade de resposta reduzida por se encontrar em manutenção”, esclarece o partido, salientando que “a equipa de Cuidados Intensivos do Hospital dos Covões não foi reforçada durante estes dias pela equipa de enfermagem da Medicina Intensiva do pólo HUC”.

Para o PCP, esta situação traz à discussão alguns aspectos fundamentais:

«As maternidades actualmente em funcionamento não conseguem garantir a prestação de cuidados intensivos a pacientes com diferentes quadros clínicos de risco, pelo que é necessária uma melhor articulação com um Hospital Geral;

É urgente dotar as actuais maternidades de equipamento moderno e de recursos humanos que reforcem as equipas de forma a melhorar o serviço até que se conclua a construção da nova Maternidade;

Mais uma vez, e tal como tem feito ao longos dos últimos anos, o Hospital dos Covões provou ter capacidade de prestar cuidados diferenciados a situações de risco como as já referidas;

Nesta situação, como noutras, o Hospital dos Covões permitiu descongestionar serviços do pólo HUC e garantir uma melhor assistência às populações».

O PCP conclui que “é essencial reverter o processo de fusão, concentração e subdimensionamento das unidades que integram o CHUC; revitalizar o Hospital dos Covões e impedir o desmantelamento de serviços em curso; avançar de forma célere com o processo de instalação da nova Maternidade no Hospital Geral dos Covões, de modo a garantir a prestação de cuidados de qualidade”

Por último, o PCP sublinha a necessidade de “esclarecimento, por parte da tutela, desta situação em particular”, e “a importância de dar seguimento ao compromisso assumido a 25 de Junho de 2019 pela ministra da Saúde, de promover um estudo sobre a localização da nova Maternidade no Hospital dos Covões, em alternativa à localização em Celas (no perímetro do pólo HUC), por forma a permitir a comparação entre as duas soluções”.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com