Coimbra  9 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

PCP de Coimbra diz que anúncio de execução do projecto do IC6 “peca por tardio”

19 de Fevereiro 2021 Jornal Campeão: PCP de Coimbra diz que anúncio de execução do projecto do IC6 “peca por tardio”

A Direcção da Organização Regional de Coimbra (DORC) do PCP valorizou hoje o anúncio do concurso para o projecto do Itinerário Complementar (IC) 6 entre Tábua (Coimbra) e Folhadosa (Seia, Guarda), mas disse que “peca por tardio”.

“Face ao anúncio da Infraestruturas de Portugal de prolongar o IC6 (até ao concelho de Seia), a Direcção da Organização Regional de Coimbra do PCP valoriza o anúncio que peca por tardio, uma vez que este IC se encontra cortado no nó de Tábua há mais de 10 anos”, refere a estrutura partidária.

A DORC do PCP refere que com a luta das populações e o apoio do partido o prolongamento do IC6 “vai avançar”. “Este importante troço, tem sido, desde sempre, uma reivindicação das populações e uma luta do PCP, que se congratula com o primeiro passo positivo, no sentido de uma mobilidade sustentável para os concelhos da Serra [da Estrela]”, considera.

A DORC assegura que o PCP “continuará a acompanhar o processo, no sentido de garantir que esta importante obra é concretizada, melhorando as condições de mobilidade da população e melhorando os acessos a muitos concelhos do interior, que se debatem com inúmeras dificuldades por falta de uma política de coesão territorial justa”.

“É agora imperativo que o período para execução do projecto seja célere e que de imediato seja lançado o concurso de execução da obra, não esquecendo que deve ser projectado o seu prolongamento até à Covilhã”, acrescenta.

O PCP de Coimbra sublinha, ainda, que o anúncio do concurso para o projecto do prolongamento do IC6 é uma conquista que “vem reforçar que a luta vale a pena”. “As populações podem continuar a contar com o PCP para que estas promessas sejam efectivamente concretizadas, o mais rápido possível”, remata.

No dia 10, a Infraestruturas de Portugal (IP) anunciou que lançou o concurso público para a elaboração do projecto de execução do troço do IC 6 entre os nós de Tábua (distrito de Coimbra) e da Folhadosa (distrito da Guarda).

O projecto a executar engloba o prolongamento do troço existente do IC6 (Catraia dos Poços/Venda de Galizes), com início após o nó de ligação de Tábua e término no nó de Folhadosa (concelho de Seia), com ligação à EN17.

Segundo a IP, este sublanço terá uma extensão de 19 quilómetros, servindo directamente os concelhos de Tábua e Oliveira do Hospital, distrito de Coimbra, e o concelho de Seia, no distrito da Guarda.

“Este troço funcionará como variante à actual EN17, constituindo-se como uma alternativa rodoviária mais segura e eficiente, que assegura ao tráfego de passagem o afastamento dos aglomerados urbanos existentes ao longo da estrada nacional”, referiu a IP em o comunicado.

O IC6, com início no IP3, em Penacova, está pensado para ligar Coimbra à Covilhã através do interior do distrito de Coimbra e da encosta sul da Serra da Estrela, mas parou no nó de Tábua em 2010.

Em Março de 2017, ano de eleições autárquicas, o Governo anunciou que seriam investidos 38 milhões de euros no prolongamento do IC6, entre os concelhos de Tábua e Seia.