Coimbra  30 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Passeio ao anoitecer no Parque Biológico para conhecer a brama dos veados

21 de Outubro 2020 Jornal Campeão: Passeio ao anoitecer no Parque Biológico para conhecer a brama dos veados

Estamos em plena época de acasalamento dos veados, altura em que as suas hastes estão agora maiores e cobertas por uma epiderme de veludo, e que podem ser observadas através de um passeio nocturno no Parque Biológico da Serra da Lousã, no próximo sábado (24).

Assim, ao anoitecer do dia 24 de Outubro, os visitantes podem ficar a conhecer um pouco melhor estes veados, os seus comportamentos e métodos de acasalamento.

“Durante os últimos meses, as hastes (estruturas de natureza óssea) do veado estiveram a crescer e agora atingiram o seu tamanho máximo. Neste período de tempo, as hastes encontraram-se cobertas por uma epiderme de veludo que as protegeu e irrigou durante o crescimento. Chegando ao tamanho máximo (que cresce uma bifurcação a mais por cada ano que passa) este veludo seca e parte óssea fica exposta. Durante o mês de Outubro, decorre a época de acasalamento nesta espécie, também conhecida por época da brama!”, revela o Parque Biológico.

O nome “brama” advém “dos penetrantes bramidos que os veados machos emitem durante dia e noite, que servem para afastar e ameaçar outros machos competidores, mas também para darem a conhecer a sua presença às fêmeas que habitam o seu território”, nota, sublinhando que “quando dois machos se encontram e ambos se querem exibir, podem ocorrer lutas entre eles, utilizando as hastes e emitindo bramidos”.

Segundo o parque, o macho de veado já tem o seu harém, no entanto, é frequente ouvirem-se os bramidos entre ele e os machos mais jovens

O Parque convida, por isso, a visitar o espaço, no próximo sábado (24), pelas 19h00, sendo que as vagas ão limitadas e sujeitas a inscrição para parquebiologicoserradalousa@adfp.pt ou 239 538 444.

Parque Biológico tem agora ovelhas da raça Churra do Minho

Um casal de ovelhas da raça Churra do Minho são os novos habitantes do Parque Biológico da Serra da Lousã, provenientes de Vieira do Minho.

Sendo que o propósito do Parque é ser “a maior amostra de raças autóctones da agro-pastorícia tradicional portuguesa”, estabelece constante contacto com as associações das raças puras autóctones de forma a exibir as características naturais destas raças aos seus visitantes.

Estes recentes habitantes são animais de porte pequeno que apresentam velos de lã grossa, escorrida e comprida.

O Parque Biológico contribui, assim, com a aquisição e reprodução deste casal para a manutenção da raça e o aumento do efectivo nacional. Além da raça Churra do Minho, nos ovinos é também possível conhecer a raça Serra da Estrela.

Entre a Quinta Pedagógica e o Parque Selvagem também é possível conhecer e observar de perto quatro raças de cabras (Anã, Serrana, Bravia e Serpentina), duas raças de cavalos (Garrano e Lusitano), sete raças distintas de bovinos (Marinhoa, Minhota, Jarmelista, Mertolenga, Cachena, Barrosã e Arouquesa) e o Burro da raça de Miranda do Douro.

Algumas destas espécies e raças, encontram-se no Parque Selvagem, local onde também há outros animais verdadeiramente emblemáticos da fauna nacional: ursos, linces, lobos, veados, javalis, entre outros!