Coimbra  16 de Julho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Parlamento aprova voto de pesar pelo falecimento de Romero de Magalhães

4 de Janeiro 2019

Foi hoje aprovado por unanimidade, na Assembleia da República, o voto de pesar do Grupo Parlamentar do PS pelo falecimento do antigo deputado à Assembleia Constituinte Joaquim Romero de Magalhães.

No voto de pesar – iniciativa do deputado do PS Pedro Coimbra – os socialistas recordam que se licenciou “em História pela Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra em 1967, foi docente do ensino liceal e professor catedrático da Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, onde se doutorou”.

“Nos tempos de estudante participou no associativismo académico, então uma das formas mais expressivas de intervenção cívica e política num país em ditadura. Membro da República do Prakistão, Joaquim Romero Magalhães foi presidente do Teatro dos Estudantes da Universidade de Coimbra e presidente da Associação Académica de Coimbra nos anos críticos de 1962 e 1963”, frisam.

Foi na Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra que “prestou provas de Doutoramento em 1984 e de Agregação em 1993. Teve posição de catedrático em 1994, sendo desde 2012 catedrático jubilado”, lembram os deputados do PS.

“Logo na sua juventude, então com 34 anos, deu um contributo decisivo à nova fase da vida nacional, como deputado eleito à Assembleia Constituinte, em 1975. Mais tarde, seria entre 1976 e 1978 secretário de Estado da Orientação Pedagógica e presidente da Assembleia Municipal de Coimbra entre 1986 e 1998. Entre 1985 e 1999 exerceu cargos de direcção na Faculdade de Economia, quer como presidente do Conselho Directivo, quer como presidente do Conselho Científico”, pode ler-se no documento.

Os deputados do Partido Socialista sublinham, para além das suas qualidades pragmáticas, também a “sua sensibilidade ajustada ao exercício da diplomacia”, que lhe conferiu a presidência da Comissão Nacional para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, com o cargo de comissário-geral entre 1999 e 2002.

Joaquim Romero Magalhães morreu, no dia 24 de Dezembro, em Coimbra, aos 76 anos de idade.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com