Coimbra  27 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Os Jogos Clássicos que acertaram no Jackpot

20 de Julho 2020 Jornal Campeão: Os Jogos Clássicos que acertaram no Jackpot

Desde o “insert coin” ao “jackpot”, as máquinas de arcade e de jogos de azar conquistaram um lugar indiscutível na memória de todos.

Na altura não havia nada ao alcance de um clique. A jornada por descobrir uma máquina de jogo ideal, fazia de ti um aventureiro com uma paixão pela descoberta.

Não te esqueças, se és fã de casinos em Portugal tem de visitar esta página para ficar a saber mais sobre os melhores casinos online do país, especialmente em tempo de pandemia.

As lendas

Se és um aficionado dos jogos clássicos online de arcade, conheces o apelo inquestionável dos gráficos simples. Onde a jogabilidade tinha bastante mais importância.

Os recursos eram limitados comparando com os atuais… mas na altura sendo uma novidade, geraram uma euforia até dos mais céticos.

Sega Rally

Este jogo sem dúvida, que foi um tipos mais imersivos da sua época, os primeiros lançamentos foram em 1994/1995.

Destacou-se para todos os amantes de corridas, por ser um excelente simulador. Tem um banco, volante e pedais de forma a simular o interior de um carro de corrida.

Existem modelos com a opção de dois jogadores. Naturalmente, fez-te mais competitivo. Sem qualquer perigo ou consequência das corridas de alta velocidade.

Os gráficos para a sua época eram bastante evoluídos, e fez-nos passar muitas tardes e até noites focados. Era preciso decidires quem era o melhor piloto do grupo ou até da sala de jogos.

cheerful-man

Pinball

O jogo favorito de muitos, pela sua simplicidade de manuseamento. Só dois “flippers” de cada lado. E um tema geral da própria máquina, existindo centenas de variações. Sabias que as origens deste jogo já remontam ao século XVII? É verdade! De acordo com a Wikipédia, o pinball é tão velho como o Rei Sol de França!

A primeira máquina propriamente dita remete ao ano de 1750, num formato mais simples e completamente mecânico. É o precursor do atual modelo que conhecemos, e era chamado de “Bagatelle”.

É simples mas no entanto complexo, dada a limitação do controlo da própria bola por entre os vários “locais” ou bónus. Para ganhar neste jogo, é preciso uma sensibilidade própria para cada máquina e para cada tipo de jogada. Como deixar que a bola desça até à ponta do flipper, e só no momento certo lançar a bola no alto para acertar o bónus derradeiro.

Alguns jogadores sentiam-se frustrados pela bola não ir para um sítio específico. Muitos abanavam ou inclinavam a mesa de jogo. Isto é o que provocava o tilt. É caracterizado por bloquear o movimento dos flippers. É uma forma de penalizar o condicionamento do jogo. Esta funcionalidade fazia com que os jogadores batoteiros perdessem a jogada.

Street Fighter

Esta saga de jogos de arcade já merece o seu lugar na história, desde a primeira aparição em agosto de 1987. De acordo com a própria Capcom, Street Fighter é um dos jogos que mais rendeu à companhia com mais de 44 milhões de cópias vendidas. Os seus mais recentes lançamentos para formatos mais modernos continuam relevantes. O primeiro jogo da saga passou despercebido em comparação aos seguintes, mas já na altura era inovador.

Introduziu uma forma de jogar com um joystick e dois botões. Contém uma narrativa própria, sendo que se pode optar por dois protagonistas.

Ryu e Ken, com os famosos ataques onde se gritava “Hadouken” ou “Shoryuken”. Acompanhaste o percurso destes heróis das artes marciais?  Por entre batalhas com diversos vilões de diferentes origens é fácil de perder a noção do tempo.

O segundo lançamento foi o mais popular, onde já foi possível escolher entre 8 tipos de jogadores. Cada um com ataques e truques específicos e “para todos os fregueses.” Com a adição de mais jogadores, surgiram mais vilões em estilos diferentes e mais desafiantes. Tornando o jogo num clássico para qualquer amante de jogos.

A banda sonora também merece o seu destaque, teve músicas de ambiente diferentes para cada vilão e protagonista. Sempre baseada nas suas histórias, com elementos das suas nacionalidades.

Em conclusão

Os jogos clássicos marcaram pela sua inovação e imersividade. O próprio autor especialista na indústria dos videojogos e jogos de apostas, Martim Nabeiro, concorda que estes clássicos tiveram grandes influências na cultura de jogos atual. Os gráficos e banda sonora icónica, são definitivamente um marco na história da humanidade. Foram um solo bastante fértil para desenvolvimentos cada vez mais avançados.