Coimbra  24 de Fevereiro de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Os benefícios de fazer ioga com cachorros

11 de Fevereiro 2024 Jornal Campeão: Os benefícios de fazer ioga com cachorros

Significa “união” e permite estabelecer uma harmonia entre a mente e o corpo com foco na espiritualidade. O ioga é uma prática já antiga, contudo, os seus benefícios começam, cada vez mais, a ser utilizados para diferentes fins. É o caso do “Puppy Yoga”, uma iniciativa que permite aos participantes que se exercitem enquanto convivem com cachorros que esperam para ser adoptados.

O exercício de ioga com animais surgiu, em Toronto, em 2017, dando vida ao termo “goat ioga”. Neste caso, eram as cabras quem marcava presença nas sessões. Dado o sucesso dessa actividade, decidiu-se dar uma oportunidade também aos cães. Os resultados não poderiam ter sido mais positivos, estando a espalhar-se, aos poucos, por vários países do mundo. No final do ano passado, a acção chegou também a Portugal pelas mãos de Elsa Moita e Luís Silva.

“Vi que no Brasil faziam algo semelhante com o objectivo de que os cães fossem adoptados. Quis fazer o mesmo em Portugal”, confessa a responsável Elsa Moita, em declarações ao “Campeão”. A jovem de 24 anos deixou-se inspirar ainda mais pela ideia depois de uma visita à associação “O Cantinho da Milú”, onde mais de 700 cães aguardavam por uma família. “Depois de falar com o meu namorado, ele disse-me para avançar e iniciar o primeiro projecto de Puppy Yoga no nosso país. Sendo eu de marketing digital e, ele, auxiliar de veterinária, tínhamos certas vantagens para começar o mais rapidamente possível”, conta.

Promover a adopção animal

O Puppy Yoga Lisboa nasceu no final do ano passado, tendo a primeira aula sido realizada a 7 de Outubro. Apesar do projecto ainda estar numa fase inicial, já conta com a colaboração de instituições como a Associação Mafra Intervenção e Resgate Animal (AMIRA), a União Zoolófica, o Centro de Recolha de Animais de Loures (CROAL) e as Patas Errantes.

“Nós entramos em contacto e, posteriormente, as associações trazem os cachorros para as sessões. Os participantes têm, assim, a oportunidade de adoptar um animal”, explica Elsa Moita. Cada aula dura cerca de uma hora. São 40 minutos de ioga e 20 minutos de fotografias e brincadeira. A jovem garante que as organizações aderem com facilidade à iniciativa, porque “precisam muito de ajuda”.

Nesse sentido, – e para que seja dado o maior apoio possível -, para além da possibilidade de adopção, 10% do valor dos bilhetes (com o custo de 30 euros) é doado às instituições. A isto, acrescem também donativos extra por parte dos participantes.

Foco no aqui e agora

Apesar de terem sido realizadas, até ao momento, poucas sessões, os frutos do Puppy Yoga Lisboa já começam a surgir. No evento do dia 7 de Janeiro, que decorreu no Mama Shelter, em Lisboa, foram adoptados quatro cachorros. No entanto, não falta tempo para decidir se quer a companhia de um amigo de quatro patas. “Se tiverem alguma dúvida sobre os processos de adopção podem dirigir-se, a mim e ao Luís, em qualquer altura”, revela Elsa Moita.

Engane-se, contudo, quem acredita que as mais-valias desta prática se fazem sentir apenas junto dos animais. Afinal, de acordo com a jovem, quem participa nestas aulas regressa com uma outra perspectiva de vida. “O feedback tem sido muito positivo. Os participantes sentem que saem de lá [sessões] mais focados. Sentem que têm de se focar no aqui e agora”, sublinha. Além disso, “durante o exercício do ioga ficam mais presentes, mesmo com a correria dos cachorros”, acrescenta.

 

Projecto ambiciona espaço próprio

 

Mais do que experienciar o ioga pela primeira vez, quem se dirige ao Puppy Yoga Lisboa quer apreciar o convívio com os animais. “Referem que é uma actividade gira e que lhes desperta a atenção para adoptar ao invés de comprar”, afirma Elsa Moita. Assim, para uma experiência mais completa, as sessões são limitadas em termos de inscrições. “Não gostamos de ultrapassar o limite máximo de 25 pessoas”, assume.

Com a iniciativa a crescer a olhos vistos, Elsa e Luís não param de traçar objectivos para o futuro. “Queremos ter um espaço próprio para fazermos estas práticas. Ambicionamos também fazer com que as associações adiram mais a este tipo de dinâmicas para que, todos, possamos contribuir para despertar a atenção das pessoas para a adopção”, salienta a jovem. Todas as informações sobre as próximas aulas de ioga com cachorros podem ser consultadas na página de instagram do projecto (https://www.instagram.com/puppyyogalx/).

Cátia Barbosa (Jornalista do “Campeão” no Porto)

Publicado na edição em papel do Campeão das Províncias de 8 de Fevereiro de 2024