Coimbra  21 de Julho de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Orçamento Participativo dos Olivais oferece desfibrilhadores a escolas

14 de Setembro 2017

No âmbito do projecto “Cardio+ na Escola”, vencedor do Orçamento Participativo da Junta de Freguesia de Santo António dos Olivais, foram entregues, esta semana, dois Desfibrilhadores Automáticos Externos (DAE), num total de cinco, a escolas daquela freguesia.

As contempladas foram as escolas Martim de Freitas, de Montes Claros, Alice Gouveia, Quinta das Flores e Eugénio de Castro.

Os dois primeiros equipamentos foram entregues ao Agrupamento de Escolas de Martim de Freitas, sendo que para as restantes está prevista a entrega até final do mês de Outubro.

Na cerimónia de entrega, que decorreu na segunda-feira (11), estiveram presentes o presidente da Junta de Santo António dos Olivais, Manuel de Oliveira, o director do Agrupamento de Escolas de Martim de Freitas, Alberto Barreira, o autor do projecto Gonçalo Órfão e vários elementos da Delegação de Coimbra da Cruz Vermelha Portuguesa (CVP).

Durante esse dia, os membros da CVP garantiram a formação de funcionários e professores da escola, assegurando a boa manutenção e utilização dos DAE entregues.

O objectivo do projecto é tornar o espaço cardio-seguro, permitindo uma assistência imediata em situação de morte súbita, bem como dar formação de Suporte Básico de Vida a 30 elementos e capacitar uma comunidade (alunos, professores, funcionários e encarregados de educação) de cerca de 3 000 pessoas desse mesmo Suporte Básico de Vida.

O presidente da Junta afirmou ser “um dia muito feliz” por, graças ao projecto vencedor, poder dotar as escolas “de um equipamento que é de sobeja importância para a comunidade estudantil”.

Já o autor do “Cardio+ na Escola”, Gonçalo Órfão, manifestou o seu orgulho por ser possível “colocar estes cinco equipamentos nas escolas e, assim, concretizar a realização de uma ambição da Cruz Vermelha Portuguesa que é trazer mais saúde e mais capacidade de acção a nível de socorrismo a toda a população”.

Este é, segundo o médico e vice-presidente da Delegação de Coimbra da CVP, “um projecto de responsabilidade social”,uma vez que “a morte súbita é uma realidade em Portugal” e, como tal, “era importante ter mais equipamentos disponíveis junto da população”.

 

Gonçalo Órfão realçou, ainda, que é importante perceber que “por cada minuto que passa em paragem cardiorrespiratória as hipóteses de sobrevivência decrescem 10 por cento” e que, passados cinco minutos, as probabilidades de sobrevivência diminuem 50 por cento.

Alberto Barreira, director do Agrupamento de Escolas congratulou-se pelo facto de os estabelecimentos ficarem “melhor preparadas para fazer face a alguma eventualidade que possa surgir”, adiantando que “os primeiros socorros e a capacidade de responder eficazmente às muitas solicitações que vão aparecendo nesta área tem sido uma preocupação desde a primeira hora”.

De acordo com os números divulgados, a doença cardíaca é responsável por 95 por cento da mortalidade pré-hospitalar em matéria de doenças cardíacas, sendo a única forma de a reverter através da aplicação imediata de um choque eléctrico, a chamada desfibrilhação eléctrica.

O Agrupamento de Escolas de Martim de Freitas tem cerca de 1 600 alunos, que agora estão mais protegidos com os novos DAE.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com