Coimbra  12 de Novembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Orçamento de Miranda do Corvo com pendor nas funções sociais

30 de Outubro 2019

Cerca de metade do montante das despesas correntes do Orçamento do município de Miranda do Corvo para 2020 destina-se a funções sociais, disse hoje o presidente da Câmara, Miguel Baptista (PS).

O Orçamento para o próximo ano, aprovado por maioria, com a abstenção do PSD, prevê um valor de quase 14,2 milhões de euros, cerca de um 1,8 milhões acima do montante de 2019.

O documento prevê um total de receitas correntes na ordem dos 9,7 milhões de euros e receitas de capital de quase 4,5 milhões de euros, bem como uma despesa corrente de 8,6 milhões e despesas de capital (investimento) de 5,6 milhões de euros.

Em declarações à agência Lusa, o autarca Miguel Baptista explicou que cerca de metade da despesa corrente, cerca de 4,2 milhões de euros, se destinam a funções sociais do Município.

Para investimentos, o Orçamento de 2020 reserva mais de 3,5 milhões de euros para a construção do Parque Logístico Municipal, Escola de Talentos e requalificação da zona industrial, três obras que têm vindo sucessivamente a ser anunciadas.

“Temos alguns constrangimentos na elaboração do Orçamento devido à impossibilidade legal de incorporar o previsível saldo de gerência na receita”, salientou o presidente do Município, que defende uma alteração legal que permita a integração do saldo de gerência “com base na média dos últimos três exercícios”.

Os vereadores do PSD na oposição abstiveram-se na votação, por considerarem que “as obras bandeira do Executivo têm sido inscritas ano após ano, sem que tenham sido iniciadas”, e que o Orçamento “privilegia a despesa corrente em detrimento do investimento”.

Numa declaração de voto, a social-democrata Fátima Ramos considerou “exagerado” o montante de “3,12 milhões de euros” que o Executivo prevê gastar no Parque Logístico Municipal, salientando que, “com menor investimento, seria possível satisfazer as mesmas necessidades”.

“É um Executivo muito curto na ambição e muito fraco na execução”, salientou a antiga presidente do Município, que foi candidata derrotada nas últimas eleições autárquicas, e cessou recentemente as funções de deputada.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com