Coimbra  10 de Dezembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Orçamento da Pampilhosa da Serra ultrapassa os 11 milhões de euros

13 de Novembro 2019

O Orçamento do Município de Pampilhosa da Serra para 2020 foi aprovado pelo executivo camarário, por unanimidade, com um valor superior a 11 milhões de euros.

Este montante é inferior ao do ano passado em cerca de três milhões de euros, que se fixou nos 14,4 milhões.

“Assente numa estratégia de desenvolvimento sustentável e suportado por uma gestão rigorosa da despesa pública, o documento prevê a execução e elaboração de um conjunto de projectos estruturantes para o Município”, segundo revela a autarquia que é dominada pelo PSD, a única força política com assento no executivo.

A requalificação do Cabecinho; a construção do Parque Naturia (uma zona verde e de lazer, na Ravessa); a ampliação do Parque de Campismo de Janeiro de Baixo; a requalificação do miradouro do Casal da Lapa; a repavimentação da estrada do Esteiro e o Projecto Intermunicipal de Passadiços e pontes na Garganta do Zêzere são alguns desses projectos.

“A par de várias medidas também previstas no orçamento, estes projectos visam a melhoria da qualidade de vida dos munícipes e reflectem a aposta de continuidade no turismo de natureza”, salienta o Município.

O turismo de natureza “é o sector que mais postos de trabalho tem criado no Município ao longo dos últimos anos, pelo que o executivo considera que deve dar continuidade a uma estratégia” assente na promoção da qualidade do ar e da água, bem como “na imponência paisagística, (…) verdadeiros luxos do século XXI”.

“Ainda na sequência dos incêndios de 2017 e apesar de solucionada grande parte das ocorrências registadas, o próximo orçamento determina a aplicação de verbas na finalização de obras decorrentes do flagelo”, acrescenta.

Em 2020, após “complexos processos de análise” por parte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Centro (CCDRC), Fundo de Apoio Municipal e Tribunal de Contas, “serão iniciadas as obras de reconstrução das habitações não permanentes danificadas pelos incêndios de 2017, cujas candidaturas foram aprovadas”.

“Esta medida pioneira a nível nacional estipulou o apoio de 40 por cento a fundo perdido para as referidas habitações, num esforço financeiro da inteira responsabilidade do Município, integrado agora no próximo orçamento, no valor de aproximadamente 380 000 euros”, segundo o executivo de José Brito.

Para 2020, está igualmente prevista a aquisição de equipamento de limpeza florestal, incluindo uma niveladora e tractores para limpar bermas.

De acordo com a autarquia, “o controlo da dívida global, bem como a selectividade da despesa municipal, continuam a ser vectores centrais” do orçamento.

“As medidas, meios e métodos para que a vida dos pampilhosenses seja melhorada estão enunciadas, sobretudo, nos seguintes eixos estratégicos: coesão social, economia, emprego, cultura, educação, turismo e desenvolvimento. Nesse sentido e para que haja uma harmonização do plano estratégico, estas áreas de intervenção não foram descuradas, uma vez que são consideradas basilares para o crescimento e desenvolvimento do concelho”, conclui.

Os documentos carecem agora de discussão e votação em reunião da Assembleia Municipal, cuja data não está ainda marcada.

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com