Coimbra  13 de Maio de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Oliveira do Hospital entregou unidade móvel ao Centro de Saúde local

31 de Março 2021 Jornal Campeão: Oliveira do Hospital entregou unidade móvel ao Centro de Saúde local

O Município de Oliveira do Hospital entregou, ontem (30), uma unidade móvel de saúde ao Centro de Saúde local.

A viatura, 100% eléctrica, está adaptada para prestar cuidados de saúde à população, nomeadamente aos grupos mais vulneráveis e que se encontram mais distantes do Centro de Saúde ou que apresentam maiores dificuldades de transporte e mobilidade, como a população idosa.

O presidente da Câmara Municipal de Oliveira do Hospital, José Carlos Alexandrino, destacou estas mais-valias, durante a sessão de entrega das chaves da viatura, que contou com a presença de profissionais do Centro de Saúde local e da presidente da Administração Regional de Saúde do Centro (ARSC), Rosa Reis Marques.

Na ocasião, José Carlos Alexandrino deixou também um agradecimento a todos os profissionais do Centro de Saúde de Oliveira do Hospital, congratulando-se pelo trabalho conjunto que têm vindo a ser desenvolvido, nomeadamente na execução do plano de vacinação contra a covid-19. “Tem existido um grande trabalho de cooperação entre a Câmara Municipal e o Centro de Saúde”, referiu o presidente oliveirense, afirmando “apreciar a atitude e o trabalho” conduzido pela presidente da ARSC na actual situação pandémica, “que tem sido dura para todos”.

Esta Unidade Móvel de Saúde (UMS) foi adquirida no âmbito do projecto “Região de Coimbra + Proximidade”, que une a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC), os seus municípios, a ARS Centro e os Agrupamentos de Centros de Saúde.

O projecto visa fornecer a todos os municípios da Região de Coimbra uma unidade móvel de saúde e foi objecto de uma candidatura aprovada pelo Programa Operacional Regional do Centro 2020, Portugal 2020 e FEDER, com um investimento total de mais de 560 000 euros.

O autarca sublinhou a importância do programa da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra (CIM-RC) – “Região de Coimbra + Proximidade” –, através do qual se pode “ajudar as pessoas que estão mais afastadas da cidade, dotando o centro de saúde de mais meios. É fundamental que as pessoas tenham acesso aos cuidados de saúde, principalmente as mais frágeis e com menos meios”, frisou.

Nos termos do protocolo de cooperação estabelecido, compete ao Centro de Saúde assegurar o pessoal de enfermagem, material médico-cirúrgico e de consumo clínico, ficando o Município de Oliveira do Hospital responsável por disponibilizar a viatura e pagar as despesas de seguro e imposto de circulação.

A viatura eléctrica de passageiros de cinco lugares inclui uma bancada de trabalho, contentores de acondicionamento e transporte de resíduos hospitalares, sistema de fixação dos equipamentos, um dispensador de gel desinfectante, um nebulizador ultra-sónico, um aspirador de secreções e um monitor ambulatório de pressão arterial e oxímetro.

Trata-se de um equipamento que vem melhorar a qualidade assistencial de proximidade nos cuidados de saúde, nomeadamente domiciliário, como assinalou o médico Marco Oliveira do Conselho Técnico do Centro de Saúde.

Satisfeita com a dinâmica que pôde verificar no funcionamento desta unidade de saúde, com consultas presenciais a decorrer apesar das restrições impostas pela pandemia, Rosa Reis Marques, presidente da ARSC entende que “esta viatura é fundamental para esta proximidade que se pretende assegurar entre utente e médico”, agradecendo à Câmara Municipal “pela unidade móvel e por todo o trabalho que tem feito”.

Para a responsável, este é um “projecto muito significativo” na CIM de Coimbra e nas suas Unidades de Cuidados de Saúde e que está a ser replicado por outras comunidades intermunicipais. “É um exemplo que deu frutos e que está a ser seguido na região”, congratulou-se Rosa Reis Marques, que agradeceu também o empenho da autarquia oliveirense na criação de condições para a equipa de Saúde Mental, conferindo maior acessibilidade das consultas às pessoas.

“A proximidade é muito importante, bem como a boa gestão de equipamentos e criação de boas dinâmicas em que todos contribuem para a solução em prol da população”, concluiu.