Coimbra  23 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Oliveira do Hospital: comparticipação de medicamentos abrange mais de 100 pessoas

20 de Agosto 2020 Jornal Campeão: Oliveira do Hospital: comparticipação de medicamentos abrange mais de 100 pessoas

Já são 109 os beneficiários do “OHá+Saúde”, programa que a Câmara Municipal de Oliveira do Hospital (CMOH) lançou no início deste ano com o objectivo de comparticipar os medicamentos a pessoas que se encontrem em situação de carência económica comprovada.

A implementação deste programa – conforme explicou José Francisco Rolo, vice-presidente da CMOH, responsável pelo pelouro da Acção Social, na reunião do Executivo camarário, tem vindo a garantir a cada vez mais munícipes o acesso a medicamentos prescritos por receita médica, mas que por vezes não chegam a ser adquiridos por razões de carácter económico.

Através desta iniciativa a medicação sujeita a receita médica e contemplada pelo Serviço Nacional de Saúde é comparticipada a cem por cento, não existindo ‘plafond’ máximo associado.

Segundo Francisco Rolo, a cada beneficiário é atribuído um “Cartão Abem”, que lhe permite aceder aos medicamentos prescritos em qualquer farmácia, “sem burocracias e com a dignidade e anonimato que merece”.

“Este Executivo lançou uma nova geração de medidas de apoio social, de apoio às famílias, que marca uma época de maior protecção social, em que ninguém fica para trás nos cuidados essenciais, seja na saúde, no incentivo à natalidade ou no apoio a famílias com menos recursos”, frisa o vereador.

Entre os beneficiários deste programa de apoio social estão pessoas carenciadas ou casos de inesperada carência económica, provocada por situações de desemprego repentina, doença incapacitante, entre outras situações que mereçam ser analisadas, por exemplo.

A identificação dos beneficiários com acesso ao programa “OHá+Saúde” é efectuada pelo Município de Oliveira do Hospital, em articulação e também por sinalização dos parceiros da Rede Social, de acordo com a sua condição de recurso.

O programa, que entrou em vigor a 01 de Janeiro do corrente ano, resulta de um protocolo assinado entre José Carlos Alexandrino, presidente da CMOH, e Augusto Meneses, presidente da Delegação do Centro da Associação Nacional das Farmácias e representante da Associação Dignitude – uma IPSS sem fins lucrativos, que está responsável pela Gestão do “Programa Abem: Rede Solidária do Medicamento”.

“É uma obra que não se vê mas que as pessoas sentem”, referiu José Carlos Alexandrino, sublinhando que o seu Executivo tem feito a maior obra física de sempre em Oliveira do Hospital mas também tem deixado uma grande marca na área social”.