Coimbra  27 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Obras de abertura do canal do MetroBus na Baixa de Coimbra são consignadas amanhã

10 de Setembro 2020 Jornal Campeão: Obras de abertura do canal do MetroBus na Baixa de Coimbra são consignadas amanhã

A empreitada de abertura do canal na Baixa de Coimbra que permitirá a execução da Linha do Hospital do Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM) será consignada amanhã (sexta-feira).

O acto público decorrerá pelas 12h30, na Praça 8 de Maio (junto à Câmara de Coimbra), e contará com a presença do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos.

A abertura desta via estruturante, que ligará a frente de rio à Rua da Sofia, com um investimento superior a 3,5 milhões de euros, integra a reconstrução de vários imóveis e a construção do edifício-ponte, da autoria do arquitecto Gonçalo Byrne, que irá permitir a passagem do MetroBus.

Após a conclusão das obras, cujo prazo de execução é de 23 meses, ficarão disponíveis dois edifícios, com uma área de construção de cerca de 2 600 m2, destinados a comércio, restauração, serviços e habitação.

A Linha do Hospital, em que esta empreitada se insere, faz a ligação da zona da Baixa de Coimbra e da Linha da Lousã à zona de Celas, onde se localiza um importante complexo de saúde (HUC, IPO, Hospital Pediátrico), duas Faculdades (Medicina e Farmácia), bem como vários Institutos de Investigação e outros equipamentos de importância estratégica para a cidade e para a região.

Recorde-se que o concurso lançado pela Metro Mondego foi ganho pela empresa Veiga Lopes, S.A., que tem sede em Coimbra, e é a mesma que efectuou as obras de requalificação do Colégio da Trindade da Universidade de Coimbra, o estacionamento do Convento de S. Francisco, a remodelação do hotel Quinta das Lágrimas e da Auto-Industrial.

O Orçamento do Estado (OE) para o corrente ano reserva 22 milhões de euros para o Sistema de Mobilidade do Mondego (SMM), a executar em 2020, o que equivale a 26 por cento do investimento total no projecto, que inclui intervenções no antigo ramal ferroviário da Lousã e na construção de uma linha urbana, em Coimbra, entre a Baixa e os Hospitais da Universidade.

O investimento total no Metrobus ronda os 85 milhões de euros e o Governo e a Infraestruturas de Portugal asseguraram, em 2019, que o SMM começará a funcionar em 2021 de forma faseada.

Troço entre Serpins e Alto de São João

Também amanhã (sexta-feira) será consignada a empreitada de adaptação do troço suburbano do Sistema de Mobilidade do Mondego (MetroBus) entre Serpins (Lousã) e o Alto de São João, pelas 11h00, na Estação de Serpins.

A obra é lançada pela Insfraestuturas de Portugal, na presença do ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos, sendo entregue ao consórcio Comsa S.A. / Fergrupo – Construções e Técnicas Ferroviárias, S.A.

O Sistema de Mobilidade do Mondego consiste na implementação do MetroBus com autocarros de tracção eléctrica a baterias no antigo ramal ferroviário da Lousã e na área urbana de Coimbra, ligando a esta cidade Miranda do Corvo, Lousã e Serpins.

A obra será consignada por 23,7 milhões de euros, terá um prazo de execução de 18 meses e irá contemplar as seguintes intervenções: Reperfilamento da plataforma e pavimentação; Desmatação e consolidação dos taludes; Melhoramento do sistema de drenagem transversal e longitudinal; 17 paragens de via dupla para cruzamento de veículos e plataformas de passageiros; Quatro zonas específicas de cruzamento de veículos; Cinco rotundas de inversão de marcha junto das estações términus; Oito acessos de emergência ao canal para operações de socorro; 13 pontes e pontões com alargamento do perfil transversal; Sete túneis com intervenção de pavimentação, iluminação e sistemas acessórios; 24 intersecções rodoviárias e pedonais de nível a automatizar e sinalizar; Seis intersecções desniveladas (cinco já existentes e uma a construir).