Coimbra  17 de Fevereiro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

O. do Hospital: Abastecimento de água deve ser normalizado esta semana

10 de Setembro 2018

O Município de Oliveira do Hospital previu, hoje, que o abastecimento de água no concelho fique normalizado esta semana, após a captação da Senhora do Desterro ter sido afectada por enxurradas.

Os serviços municipais “estimam que o regresso à normalidade aconteça a meio da semana e que os depósitos de reserva se encontrem já nos níveis adequados” sem recurso aos camiões-cisterna dos bombeiros locais e de concelhos vizinhos, segundo um esclarecimento do gabinete do presidente da Câmara, José Carlos Alexandrino.

O abastecimento de água ao concelho “está neste momento a processar-se com normalidade, embora com recurso a uma captação própria do Município para enchimento do depósito”, com apoio das corporações de bombeiros de Oliveira do Hospital e Lagares da Beira.

“Quando a situação é mais crítica, como já aconteceu, também participam os Bombeiros de Vila Nova de Oliveirinha e Coja”, nos municípios de Tábua e Arganil, respectivamente, refere.

No domingo, “graças a esse esforço, só houve uma localidade de Oliveira do Hospital – Catraia de São Paio – que ficou privada de água durante cerca de quatro horas”.

A autarquia sublinha que a água distribuída “reúne os parâmetros de qualidade exigidos por lei e está em constante monitorização”, enquanto a empresa Águas do Vale do Tejo não considerar resolvido o problema na captação da Senhora do Desterro.

“Este problema é recorrente e já aconteceu por oito vezes” na sequência dos incêndios de 2017.

Quando chove com intensidade na Serra da Estrela, “o deslizamento de terras e cinzas das zonas de encosta desprotegidas em consequência dos fogos causa uma elevadíssima turvação na água, tornando-a imprópria para consumo”, lamenta a Câmara de Oliveira do Hospital.

O autarca José Carlos Alexandrino entende que “a resolução do problema passará sempre por um investimento que terá de ser feito” pela Águas do Vale do Tejo, o qual “é impossível de realizar num espaço curto de tempo”.

O presidente da Câmara pediu aos munícipes para fazerem “um consumo de água eficiente e sem desperdícios”.

A situação na captação da Senhora do Desterro originou, também, constrangimentos no abastecimento de água nos concelhos de Gouveia e Seia, no distrito da Guarda, cujas câmaras informaram, entretanto, que as restrições deverão ser ultrapassadas ainda hoje.

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com