Coimbra  18 de Outubro de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Núcleo da Cidade Muralhada desconfina mais interactivo e inclusivo

6 de Abril 2021 Jornal Campeão: Núcleo da Cidade Muralhada desconfina mais interactivo e inclusivo

O Núcleo da Cidade Muralhada, na Torre de Almedina, abriu hoje (06) ao público com equipamentos e conteúdos renovados e actualizados, possibilitando aos visitantes ficarem a conhecer melhor a história da cidade de Coimbra num ambiente mais imersivo, dinâmico e apelativo, permitindo uma apreensão mais intuitiva. Durante a sessão foi, ainda, apresentada uma nova maqueta da Torre, com uma versão que pode ser tacteada por visitantes invisuais.

A intervenção passou ainda pela renovação de textos (agora disponíveis em cinco idiomas: português, inglês, castelhano, francês e italiano), actualização de imagens e a substituição de um LCD por uma tela de 540 centímetros, onde são projectadas imagens enquanto na maqueta se indicam os principais elementos medievais.

Através de ecrã touch, o visitante poderá seleccionar o tipo de viagem e conhecimento a apreender, podendo escolher ver apenas um dos filmes mais genéricos ou aprofundar cada um dos pontos, consoante o seu interesse. O visitante poderá, ainda, accionar a aplicação que interage com a maqueta, projectando um filme na tela de imagens reconstitutivas e actuais dos elementos mais marcantes da muralha e da cidade, de forma a realizar, assim, uma viagem virtual pela Coimbra Medieval, dos meados do século XIII.

Manuel Machado, presidente da Câmara de Coimbra, destacou a contínua “cooperação activa das escolas superiores de Coimbra em actividades municipais que são de relevante importância”, de que é exemplo este trabalho.

As alterações feitas no Núcleo da Cidade Muralhada foram realizadas “com cuidado, ciência e dedicação”, pretendendo-se “desafiar os visitantes a partilhar estes bens que não são nossos”, referiu o autarca.

Esta intervenção foi parcialmente financiada pelo programa Promuseus19 promovido pela Rede de Museus, organismo da Direcção-Geral do Património Cultural, sendo que a despesa realizada totaliza os 36 154 euros (um investimento elegível de 35 951), com uma ajuda pela parte da Rede de 22 327 euros.

A sessão de apresentação contou com a participação de Walter Rossa, arquitecto, urbanista e académico, e Luísa Trindade, investigadora em História do Urbanismo Português, que colaboraram neste processo de modernização.

Walter Rossa mencionou que o objectivo da maqueta era “representar a muralha de Coimbra à volta de 1200”, um trabalho que envolveu, também, uma equipa coordenada pela Professora Elisabete Carvalho.

“Se puséssemos só a muralha não se percebia bem e decidimos inserir os edifícios religiosos como pontos de referência da cidade (…) este é um trabalho confirmado, retificado, uma edição revista, aumentada e certificada academicamente”, garantiu.

Esta maqueta “permite uma leitura da cidade e uma própria compreensão da mesma. Por outro lado, possibilita, também, perceber que ela representa uma muralha que ainda existe”, concluiu o arquitecto.

O Núcleo da Cidade Muralhada, instalado na Torre de Almedina, em pleno centro histórico de Coimbra, pretende dar a conhecer a muralha medieval e a forma como essa influenciou a organização urbana de cidade.

O Núcleo da Cidade Muralhada, na Torre de Almedina, vai passar a estar aberto ao público de terça a sexta-feira, das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 18h00, e sábado das 10h00 às 13h00, enquanto vigorar em território nacional a obrigação de recolhimento aos sábados, domingos e feriados a partir das 13h00.