Coimbra  30 de Maio de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Novo Aeroporto: CIM de Coimbra exige visão de país e não apenas da capital

16 de Maio 2024 Jornal Campeão: Novo Aeroporto: CIM de Coimbra exige visão de país e não apenas da capital

A Comunidade Intermunicipal (CIM) da Região de Coimbra, reunida esta quinta-feira, em Oliveira do Hospital, saúda a decisão sobre o novo Aeroporto de Lisboa, em Alcochete, mas alerta para “a necessidade de uma visão de país e não apenas da capital”.

“A par do novo Aeroporto de Lisboa, um conjunto de intervenções e infra-estruturas, como a Terceira Travessia do Tejo, estão em curso ou previstas, com o potencial de alterar significativamente a geografia do país. É fundamental que estas obras sejam pensadas e implementadas de forma a promover um desenvolvimento equilibrado e coeso do território, e não apenas potenciar as áreas metropolitanas já existentes”, considera a CIM da Região de Coimbra.

Esta Comunidade Intermunicipal destaca “a importância de materializar, a curto prazo, o conjunto de infra-estruturas previstas nos diversos instrumentos de planeamento dos sucessivos governos, com ênfase especial na Região Centro”.

Como  projectos essenciais para o desenvolvimento da região refere-se a conclusão da requalificação da linha da Beira Alta e do ramal ferroviário da Figueira da Foz, a requalificação do porto da Figueira da Foz, a duplicação do IP3 com ligação em perfil de auto-estrada, a conclusão do IC6, a alternativa à Estrada N17, a melhoria das ligações a Góis, a expansão do Sistema de Mobilidade do Mondego e a conclusão dos investimentos previstos no Programa Nacional de Investimentos e no Plano Rodoviário Nacional.

Aeroporto na região e área metropolitana

A CIM Região de Coimbra sublinha, ainda, “o papel estratégico que a região possui na ligação ferroviária com Espanha, quer ao nível de passageiros, quer ao nível de carga”, considerando “crucial que o nível de serviço e qualidade desta ligação seja melhorado e ampliado após o término das obras em curso”.

Os autarcas referem, também, que a região “não pode continuar a ser a única do país desprovida de infra-estruturas aeroportuárias”. “No processo de construção do novo Aeroporto de Lisboa deve ser acautelada a existência de um Aeroporto na região Centro, de preferência utilizando territórios preparados e infra-estruturas preexistentes. Tal medida aumentaria a capacidade aeroportuária de Portugal e contribuiria para um desenvolvimento mais equilibrado do território”, consideram.

Entendem, também, que “Portugal não pode continuar a agravar a concentração de investimento nas actuais áreas metropolitanas”, pelo que defendem a necessidade de “criar condições para um desenvolvimento mais equitativo do território, encarando Coimbra como uma Região Metropolitana”. “Essa visão estratégica proporcionaria um importante impulso ao desenvolvimento integrado e harmonioso do país”, acreccenta-se.

Por último, a CIM Região de Coimbra “reitera a sua disponibilidade para colaborar com o Governo na definição e implementação de políticas públicas que promovam o desenvolvimento equilibrado e coeso do território nacional”.