Coimbra  30 de Maio de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Nova associação para prevenir as doenças coronárias

14 de Fevereiro 2024 Jornal Campeão: Nova associação para prevenir as doenças coronárias

Foto: A “ACORD” foi constituída por dois jornalistas sobreviventes de doença coronária, que foram tratados no Serviço de Cardiologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, sob orientação do respectivo director, Prof. Dr. Lino Gonçalves

 

Acaba de ser criada uma associação com o objectivo de prevenir as doenças coronárias, que tem a particularidade de ser uma iniciativa de cidadãos com aquela patologia. Chama-se “ACORD – Associação para Prevenção de Doenças Coronárias”.

O logotipo da nova associação termina com um coração estilizado a simular um “e” com um ponto de exclamação, para que seja lido como “Acorde!” – isto é, um alerta para o risco da doença coronária e para a necessidade de todos tomarmos medidas adequadas para sua prevenção.

A “ACORD” foi agora constituída por dois jornalistas veteranos, Jorge Castilho e Lino Vinhal, ambos atingidos por doença coronária. Segundo referiram, só por sorte lhes foi detectada a tempo esta doença, que vai obstruindo as artérias coronárias, e que é uma das maiores causas de morte súbita, todos os anos provocando muitos milhares de vítimas. Ambos os jornalistas foram tratados através de cateterismo, uma intervenção relativamente simples, que permite desobstruir as artérias e colocar uma pequena rede (stent) nos locais das lesões, de forma a restabelecer o normal fluxo do sangue.

A ambos o tratamento foi feito no Serviço de Cardiologia do Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra, sob orientação do respectivo Director, Prof. Dr. Lino Gonçalves.

E foi em consonância com este especialista, que então fazia parte da Direcção da Sociedade Portuguesa de Cardiologia, que decidiram criar esta associação, visando ser a voz dos doentes, não só para alertar para a gravidade das doenças coronárias, mas também para divulgar as medidas de prevenção que todos devemos adoptar no nosso quotidiano. Para além do mais, a nova Associação propõe-se colaborar com outras instituições desta área, nacionais e internacionais, de forma a melhor atingir os seus objectivos. O próprio acrónimo “ACORD” pretende também significar “Association for CORonary Diseases”.

Assim, há já contactos com a SPC (Sociedade Portuguesa de Cardiologia), com a APIC (Associação Portuguesa de Intervenção Cardiovascular) e em breve serão estabelecidas ligações com outras congéneres.

A ACORD é uma associação sem fins lucrativos, que tem a sua sede em Coimbra, mas abrange todo o território nacional.

Para a sua criação (concretizada na Conservatória do Registo Comercial de Coimbra) e divulgação pública foi deliberadamente escolhido este momento, uma vez que se assinala a 14 de Fevereiro o Dia Nacional do Doente Coronário.

Os dois jornalistas sublinham que, enquanto sobreviventes a doença coronária, graças a intervenção atempada, sentem a obrigação de partilhar a sua experiência e assim tentar contribuir, com os seus alertas e a informação adequada, para reduzir a mortalidade e melhorar a qualidade de vida da população.