Coimbra  18 de Maio de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

“Noa” vence Prémio Bissaya Barreto de Literatura para a Infância 2022

11 de Abril 2022 Jornal Campeão: “Noa” vence Prémio Bissaya Barreto de Literatura para a Infância 2022

A obra infanto-juvenil “Noa”, com texto de Susana Cardoso Ferreira e ilustrações de Raquel Costa, publicada em 2020 pela Oficina do Livro, é a vencedora do Prémio Bissaya Barreto de Literatura para a Infância, edição de 2022.

De acordo com o júri, composto por Rui Marques Veloso, José António Gomes e Lúcia Santos, presidente do júri em representação da Fundação Bissaya Barreto, a obra premiada “possui um texto com uma estrutura narrativa original e de notória qualidade lírica e poética, capaz de suscitar o interesse de diferentes públicos. Com uma temática acessível, mas com espessura, e sem abrir mão de uma certa densidade dramática, a narrativa consegue ir ao encontro de uma diversidade de modos de sentir e de superar tensões emocionais e adversidades, o que é digno de nota. De uma comunicabilidade sensível, o texto literário é servido por uma ilustração expressiva e dinâmica que nunca ignora a psicologia das personagens.”

O júri congratula-se, também, com a elevada adesão de candidaturas, e com a crescente qualidade dos livros apresentados a concurso, que considera “valorizar expressivamente a iniciativa da Fundação Bissaya Barreto”. Nesta oitava edição do Prémio, concorreram 197 obras, com a participação de 66 editoras e de doze edições de autor.

Susana Cardoso Ferreira, nascida em Lisboa, é licenciada em Biologia e pós-graduada em Técnicas de Avaliação e Intervenção Psicoeducatica em Contextos Escolares e Sociocomunitários e em Jogo e Desenvolvimento da Criança (2005). Trabalha como tradutora de literatura infanto-juvenil, desde 2009.

É autora de livros de literatura infantil, todos publicados pela Oficina do Livro: Minas, o Lápis Professor (2008), recomendado pelo Plano Nacional de Leitura (PNL), e Os Pés Mágicos de Jeremias (2010). Venceu o Prémio Literário Maria Rosa Colaço, em 2014, na modalidade juvenil, com Viagens de Chapéu – As Invenções e Indecisões de Dona Amélia Longor (2015 – PNL) e seleccionado para a lista White Ravens 2016 (International Youth Library).

Raquel Costa é artista visual e ilustradora. Nasceu no Porto, formou-se em Artes Plásticas – Escultura e é mestre em Ensino de Artes Visuais. Lecciona na Escola Superior de Design, do Instituto Politécnico do Cávado e do Ave e participa com regularidade em exposições a solo e colectivas, em Portugal e no estrangeiro. Orienta oficinas de ilustração e realiza sessões de desenho ao vivo. É co-fundadora do Little Black Spot Creative Studio, onde trabalha em ilustração e design de comunicação, para os mercados editorial e publicitário.

Conta com vários livros infanto-juvenis ilustrados editados. Com reconhecida intervenção e experiência no campo da educação de infância, a Fundação criou o Prémio Bissaya Barreto de Literatura para a Infância em 2008, com o duplo objectivo de contribuir para a valorização e promoção da literatura de qualidade destinada à infância e para a valorização da dimensão estética do livro. O prémio, no valor pecuniário global de 5.000,00€ (cinco mil euros) é atribuído, em conjunto, aos autores da obra seleccionada (texto e ilustração). Nas edições anteriores, as obras premiadas foram: 2020 – “Por amor a mim”, de Eric Many, pelas Edições Afrontamento; 2018 – “O cão que comia a chuva”, de Richard Zimler, ilustrada por Júlio Pomar, editada pela Porto Editora; 2016 – “Gato procura-se”, de Ana Saldanha e Yara Kono, editada pela Caminho; 2014 – “Pequeno Livro das Coisas”, de João Pedro Mésseder e Rachel Caiano, editada pela Caminho; 2012 – “A Bicicleta que tinha bigodes” de Ondjaki, editada pela Caminho; 2010 – “O Cavalinho de Pau do Menino Jesus e Outros Contos de Natal” de Manuel António Pina e Inês do Carmo, editada pela Porto Editora; 2008 – “O Livro da Avó” de Luís Silva, pelas Edições Afrontamento.