Coimbra  12 de Abril de 2024 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Na falta de lampreia Montemor-o-Velho tem mais sabores do rio e do campo

13 de Março 2024 Jornal Campeão: Na falta de lampreia Montemor-o-Velho tem mais sabores do rio e do campo

O presidente da Câmara de Montemor-o-Velho apelou, esta quarta-feira, que sejam tomadas medidas para preservar a lampreia no rio Mondego e nos outros cursos de água do país, anunciando que um especialista irá sensibilizar a Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra para o assunto.

Emílio Torrão falava na apresentação do Festival do Arroz e da Lampreia – Sabores do Campo e do Rio, que vai decorrer em Montemor-o-Velho no próximo fim-de-semana, dias 16 (sábado) e 17 (domingo), e na semana seguinte nos dias 21, 22, 23 e 24.

“Há medidas que podem ser tomadas para preservar a lampreia, como rever as artes de pesca e não remover o areão e os seixos do rio, onde crescem as larvas, referiu o autarca, adiantando que o ciclo da lampreia é de sete anos, tendo ocorrido em 2017 os grandes incêndios que poluíram os rios com cinzas e outros resíduos.

A 22.ª edição do Festival do Arroz de Lampreia decorrerá como habitualmente numa tenda com 4.100 metros quadrados, localizada no Largo da Feira, em Montemor-o-Velho, e também está a decorrer em nove restaurantes aderentes durante todo o mês.

Para os amantes do arroz de lampreia, dada a escassez do ciclóstomo, o melhor é reservar antecipadamente, avisa a organização, que apela à partilha de doses e sugere outros pratos da região, como as enguias, o peixe frito do rio, o arroz de cabidela, o arroz de feijão com pataniscas, entre outros.

O arroz carolino do Baixo Mondego é um dos embaixadores desta festa dos sabores que pretende mostrar e promover o que de melhor existe no concelho e, ao mesmo tempo, proporcionar uma experiência gastronómica e territorial pensada para ser vivida e saboreada em família e com amigos.

À sobremesa, os visitantes são convidados a (re)descobrir o Pastel de Tentúgal IGP, as Queijadas de Pereira, as Pinhas de Montemor ou o arroz doce quentinho, feito com o arroz Carolino do Baixo Mondego e com o leite das explorações da Gândara.

Também os mais pequenos são tratados como gente grande e, a par das sempre muito participadas sessões de cozinha, os mini-chefs vão ter também disponível o espaço infantil Morlândia, onde diversão não falta.

Em www.festivalarrozlampreia.pt, o certame fica disponível 24 horas por dia, convidando à descoberta dos sabores do concelho e da região. Na tenda do Festival o espaço vai contar com a praça da alimentação (com 5 tasquinhas, 9 bares e petisqueiras), 2 palcos, 4 stands de doçaria e uma área com 24 bancas de artesanato e de mercadinho de produtos endógenos.

Os dois domingos do Festival do Arroz e da Lampreia vão ser dias de explorar o território com as viagens no comboio turístico. Nos 17 e 24 de Março, entre as 15h00 e as 17h00, os visitantes e turistas são convidados a ficar a saber mais sobre o Património Agrícola de Montemor-o-Velho, numa iniciativa que é gratuita.

Aos sábados, dias 16 e 23 de Março, entre as 15h00 e as 18h00, a “Hora do Arroz Doce” vai tornar ainda mais saborosa a visita ao festival.