Coimbra  27 de Novembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Município recorda importância e história dos viveiros da Praia de Mira

19 de Novembro 2020 Jornal Campeão: Município recorda importância e história dos viveiros da Praia de Mira

A Praia de Mira tem sido o local escolhido para acolher encontros entre técnicos do Município de Mira e alguns convidados, que têm vindo a partilhar experiências antigas e também perspectivas futuras no âmbito da reabilitação dos viveiros da barrinha.

Alguns homens ligados ao mar e com ligações familiares aos antigos fundadores/colaboradores dos viveiros ouviram o projecto de reabilitação dos mesmos, recordando a sua importância há décadas atrás, assim como algumas das vivências ali experienciadas.

“Quisemos ouvir, da voz de quem sabe, tradições, experiências e também recolher ‘dicas’ que nos possam ajudar a fazer a melhor exploração possível destes viveiros”, refere Raul Almeida, presidente do Município, acrescentando que na reunião estiveram ainda presentes os responsáveis pela produção gráfica e pela comunicação deste projecto “tão importante para o concelho”.

A obra de requalificação dos viveiros, no valor de 354 000 euros, foi comparticipada pelo Fundo Europeu dos Assuntos Marítimos e das Pescas (FEAMP), estando já em fase avançada de execução. A maior parte dos trabalhos consiste na limpeza e reabilitação dos tanques já existentes, a execução de novos passadiços (entretanto já terminados) e ainda a criação e dinamização de um Centro de Interpretação Ambiental.

No Centro de Interpretação haverá um espaço de exposições que vai contar com o apoio dos pescadores de arte- xávega, que irão ensinar a reparar redes e partilhar experiências. O apoio científico do projecto tem sido dado pela Universidade de Aveiro.

É de recordar que os viveiros da Barrinha foram uma grande atracção da Praia de Mira nas décadas de 50 a 70 do século passado, num período pré parques aquáticos e oceanários, mas acabaram por encerrar no final dos anos 1990 devido ao desinvestimento do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas na conservação dos tanques e áreas de apoio.