Coimbra  27 de Janeiro de 2022 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Município de Poiares é um dos vencedores do prémio Aristides de Sousa Mendes

9 de Novembro 2021 Jornal Campeão: Município de Poiares é um dos vencedores do prémio Aristides de Sousa Mendes

Os municípios de Braga, Elvas, Almeida, Vila Nova de Cerveira e Vila Nova de Poiares são os vencedores do prémio “Aristides de Sousa Mendes e outros salvadores portugueses” e outros 12 projectos receberam menções honrosas, anunciou hoje o Governo.

A Câmara Municipal de Vila Nova de Poiares arrecadou o prémio na categoria de Fazer Acontecer, com o projecto “Nas malas deixamos o coração…”, e houve uma menção honrosa para “Um abraço numa carta”, submetido por Vila Nova de Gaia, numa iniciativa de Mariana Isabel Gonçalves Costa.

“Ao todo, foram recepcionadas 42 candidaturas, um número que considero bastante impressivo para um prémio que lançámos em Março de 2021, num período atípico a vários níveis”, disse a ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública, Alexandra Leitão, na entrega dos diplomas dos projectos vencedores da 1.ª edição do prémio autárquico “Aristides de Sousa Mendes e outros salvadores portugueses – Holocausto, valores universais, humanismo e justiça”, que decorreu no Palácio Galveias, em Lisboa.

Entre as cinco categorias do prémio, a de Coesão Social e Comunitária foi atribuída ao projecto “Conselho Municipal do Imigrante, Integração e Interculturalidade”, do Município de Braga, a que se juntam três menções honrosas, nomeadamente ao programa educativo e cultural “De Famalicão para o mundo: contributos da história local”, promovido por Vila Nova de Famalicão; ao projecto “A escola vai ao bairro”, da freguesia da Falagueira-Venda Nova (concelho de Amadora) e do agrupamento de escolas Mães D’Água; e ao projecto “Museu fora de portas: o museu visita as IPSS (instituições particulares de solidariedade social)”, submetido por Sesimbra.

Na categoria de Artes, Património e outros domínios Culturais, o vencedor foi o projecto “Casa da História Judaica de Elvas”, do Município de Elvas, e foram distinguidas outras três candidaturas com menções honrosas: peça de teatro/texto “Miosótis”, submetida pela freguesia de Arcozelo (Ponte de Lima), em parceria com o DUPLAFACE – Companhia das Artes; projecto “Escola da Cidadania – Casa das Memórias António Guterres”, promovido do Fundão; e espectáculo de ballet neoclássico “A última viagem”, do Município de Viana do Alentejo e da Associação Equestre de Viana do Alentejo.

O Município de Almeida venceu a categoria Modelar o Futuro sobre memórias e experiências vivas, com o projecto “Vilar Formoso Fronteira de Paz – Memorial dos Refugiados ao Cônsul Aristides de Sousa Mendes”, e houve também três menções honrosas: “Desvendando memórias dos gibraltinos”, submetido por Funchal; “Trabalhadores forçados portugueses no III Reich e os Louletanos no sistema concentracionário nazi”, do Município de Loulé, em associação com o Instituto de História Contemporânea da Universidade Nova de Lisboa; e “CHUDE – Centro Humberto Delgado, Centro de Estudos sobre o Republicanismo e a Oposição à Ditadura Portuguesa”, promovido por Torres Novas.

Na categoria de Diferenciação, Inovação, Criatividade, o galardão foi atribuído ao projecto “Cerveira-Tomiño: Um espaço naturalmente comum e verdadeiramente europeu”, do Município de Vila Nova de Cerveira, e duas menções honrosas para “Jornadas municipais de educação 75 anos do fim do holocausto relembrar para reflectir”, submetido por Serpa, e “Programa Educar para a Convivência e Comunicação entre Culturas – SER(PA)+CIDADÃO”, também do Município de Serpa, em parceria com a Rota do Guadiana – Associação de Desenvolvimento Integrado.

Além da ministra Alexandra Leitão, a cerimónia de divulgação dos vencedores do prémio contou com a presença do ministro de Estado e dos Negócios Estrangeiros, Augusto Santos Silva, do secretário de Estado da Descentralização e da Administração Local, Jorge Botelho, da comissária do programa Nunca Esquecer, Marta Santos Pais, e os autarcas e representantes dos projectos premiados.

A 1.ª edição do prémio “Aristides de Sousa Mendes e outros salvadores portugueses” recebeu, entre as 42 candidaturas, projectos submetidos pelas autarquias, precisamente “28 municípios e cinco freguesias”, e pelas entidades promotoras, que são “os verdadeiros agentes de mudança junto das populações”, realçou a ministra Alexandra Leitão.