Coimbra  22 de Fevereiro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Movimento apela a Coimbra e Leiria que defendam um aeroporto na região

14 de Fevereiro 2020

O movimento Somos Coimbra (SC) apelou, hoje, às comunidades intermunicipais (CIM) das regiões de Coimbra e de Leiria para, em conjunto, estudarem e defenderem a criação de um aeroporto na região Centro.

“Propomos que seja desenvolvido um diálogo intermunicipal [com a CIM de Leiria] para defesa comum de um aeroporto” no Centro do país, “procurando um consenso em torno de uma localização que sirva simultaneamente Coimbra, Leiria e toda a região Centro, unindo em vez de desunir”, disse hoje, em Coimbra, durante uma conferência de Imprensa, José Manuel Silva, um dos dois vereadores da Câmara desta cidade eleitos pelo SC.

“A futura infraestrutura aeroportuária poderá resultar da abertura ao tráfego civil da Base Aérea 5 (BA5), em Monte Real, ou da sua construção de raiz numa zona “a sul de Coimbra e a norte de Leiria”, em função dos estudos, adiantou.

O SC defende “um aeroporto na região Centro, mas com a realização de uma competente e rigorosa avaliação prévia da sua viabilidade efectiva, que comprove a relação custo-benefício da sua construção e o real interesse e disponibilidade de companhias aéreas para a sua utilização e rentabilização mínimas”, sintetizou José Manuel Silva.

O presidente da Câmara de Leiria, Gonçalo Lopes (PS), recentemente, insistiu na hipótese de Monte Real e considerou a proposta do presidente da Câmara de Coimbra, o também socialista Manuel Machado, que agora defende a construção de um aeroporto de raiz, entre as duas cidades, “completamente esdrúxula e irrealista”, recordou José Manuel Silva.

Manuel Machado avançou na defesa de um aeroporto novo, depois de ter concluído que a transformação do aeródromo municipal, no concelho de Coimbra, em aeroporto, exigia avultados investimentos, e perante “a evidência” de que BA5 “não é alternativa”.

De acordo com o autarca de Coimbra, a nova pista “aponta para custos entre 30 e 50 milhões de euros” e, perante “este baixo valor”, José Manuel Silva, irónico, desafia Manuel Machado e o PS de Coimbra a “avançarem de imediato com a sua construção, sem mais delongas”.

“Se verdadeiramente consideram que se pode construir um aeroporto de raiz por 30-50 milhões de euros! Façam-no, metam mãos à obra! Se não o fizerem é porque reconhecerão que, mais uma vez, estão a mentir despudoradamente”, enfatizou o vereador do SC.

“Coimbra está cansada de tantas mentiras, de demagogia, de quererem enganar permanentemente as pessoas”, afirmou ainda o antigo bastonário da Ordem dos Médicos, sustentando que “Coimbra precisa de verdade, trabalho, ambição e competência na Câmara”.

Mas, entretanto, o movimento SC propõe a imediata “transformação do aeródromo Bissaya Barreto num aeródromo de qualidade internacional”, para que possa “receber pequenos jactos e os Dornier 228/200, que operam nas linhas internas” (agora “temporariamente suspensas), e que aterram em Viseu.

José Manuel Silva anunciou, por outro lado, que o SC vai apresentar na próxima Assembleia Municipal de Coimbra “uma moção contra o aeroporto do Montijo, um inaceitável crime ambiental, que colide com aquela que devia ser a prioridade do Governo para um aeroporto alternante do aeroporto de Lisboa, o aeroporto da região Centro”.

Por outro lado, admitiu, ao encerrar a BA6, em Montijo, tornar-se-à “mais difícil” a utilização da Base de Monte Real para o tráfego civil.

Para além da presença nas redes sociais, e do portal institucional na web, O Somos Coimbra inaugurou, hoje, um canal no Youtube com um vídeo “emblemático e histórico”, alusivo a toda esta problemática do aeroporto, que pode ser visto em https://www.youtube.com/watch?v=Yme40_9hxXo&t=1s

 

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com