Coimbra  26 de Maio de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Mosteiro de Santa Maria de Seiça reclassificado como monumento nacional

11 de Abril 2019

O mosteiro de Santa Maria de Seiça, em Ribeira de Seiça – Paião, Figueira da Foz, vai ser reclassificado como monumento nacional, beneficiando de obras de ampliação, segundo um anúncio publicado, hoje, em Diário da República.

Assinado pela directora-geral do Património Cultural, Paula Araújo da Silva, o anúncio determina a abertura do procedimento de ampliação e reclassificação como monumento nacional do mosteiro situado na freguesia de Paião.

O mosteiro terá sido fundado por volta de 1162 por D. Afonso Henriques, albergando inicialmente monges beneditinos, tendo passado posteriormente para a Ordem de Cister.

A igreja medieval acabaria por ser demolida durante um período de expansão, em 1672, sendo substituída pelo actual templo.

Devido à sua proximidade ao Colégio de Santa Cruz de Coimbra, o Mosteiro de Seiça passou a funcionar por essa altura como centro de estudos filosóficos da sobredita ordem.

Actualmente, o convento encontra-se “bastante arruinado”, tendo como maior atracção o corpo da igreja, considerada a peça mais interessante do conjunto edificado.

“A área em vias de classificação e os imóveis localizados na zona geral de protecção (50 metros contados a partir dos seus limites externos) ficam abrangidos pelas disposições legais em vigor”, lembra Paula Araújo e Silva no seu despacho.

Os elementos relevantes do processo, nomeadamente a fundamentação, despacho, planta do imóvel classificado e da respectiva zona geral de protecção e da área em vias de classificação e da respectiva zona geral de protecção, estão disponíveis nas páginas electrónicas dos seguintes organismos: Direcção-Geral do Património Cultural, Direcção Regional de Cultura do Centro e Câmara Municipal da Figueira da Foz.

“O interessado poderá reclamar ou interpor recurso hierárquico do acto que decide a abertura do procedimento de ampliação da classificação e reclassificação, nos termos e condições estabelecidas no Código do Procedimento Administrativo, sem prejuízo da possibilidade de impugnação contenciosa”, estabelece o anúncio.