Coimbra  11 de Agosto de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Morreu Carlos Carranca, o professor, poeta, ensaísta e declamador

29 de Agosto 2019 Jornal Campeão: Morreu Carlos Carranca, o professor, poeta, ensaísta e declamador

Carlos Carranca faleceu, hoje, em Lisboa, onde se encontrava internado, aos 61 anos, vítima de doença prolongada.

Natural da Figueira da Foz, manteve uma forte ligação com a Lousã. Foi professor do ensino superior, poeta, ensaísta, declamador, cantor e animador cultural. Licenciado em História, foi professor auxiliar convidado da Universidade Lusófona, docente da Escola Superior de Educação Almeida Garrett e da Escola Profissional de Teatro de Cascais. Presidiu à Direcção da Sociedade de Língua Portuguesa e foi fundador e elemento da Direcção do Círculo Cultural Miguel Torga, bem como sócio fundador da Sociedade Africanóloga de Língua Portuguesa.

Carlos Carranca integrou o Centro de Estudos de História Contemporânea e foi co-fundador do Centro de Iniciação Teatral.
Estudioso das tradições populares e académicas de Coimbra, é como poeta que se torna conhecido, com três livros ligados à temática coimbrã: “Serenata Nuclear”, “7 Poemas para Carlos Paredes” e “Coimbra à Guitarra”. É, porém, como divulgador da poesia portuguesa, enquanto poeta e ensaísta (torguiano convicto) e na qualidade de animador cultural, que o seu trabalho ganhou importância.