Coimbra  15 de Setembro de 2019 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Montemor valoriza território e produtos em nova edição da Feira do Ano

3 de Setembro 2019

Emílio Torrão, presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, apresentou, hoje, a Feira do Ano – Festas Concelhias com restantes membros da comissão organizadora, no recinto do certame 

 

A gala final das “7 Maravilhas Doces de Portugal”, no sábado (07), transmitida em directo de Montemor-o-Velho é um dos pontos altos da Feira do Ano – Festas Concelhias deste ano.

O certame, que decorrerá de 07 a 15 de Setembro continua a querer promover o seu território, as suas gentes, os seus produtos e a atrair milhares de visitantes, de todas as idades, com uma programação diversificada e um cartaz musical apelativo.

Pelo palco principal do certame vão passar nomes como Cuca Roseta, José Cid, Fernando Daniel, Sangre Ibérico ou ProfJam.

A Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, como entidade organizadora, continua a apostar na melhoria da feira que, mais uma vez, mantém as entradas gratuitas, esperando, desta forma, ser um evento receptivo a todos.

A identidade local e a valorização do que é concelhio continua a ser o lema do Município, ganhando forma na realização deste certame.
A prova é o espaço dado aos produtos endógenos, aos sabores e saberes de Montemor-o-Velho e, também, às associações, colectividades e juntas de freguesia.
O Município pretende, assim, provar que a Feira do Ano | Festas Concelhias são o evento mais marcante do ano no concelho, continuando a surpreender, a inovar, a afirmar-se e a crescer “quer ao nível de expositores como de visitantes”, revelou Emílio Torrão, presidente da Câmara Municipal de Montemor-o-Velho.

Concertos, uma zona dedicada aos mais novos (Morlândia), actividades equestres, tasquinhas e mostra de doçaria, mais de uma centena de expositores de diversas áreas: serviços, indústria, comércio e agricultura da região e as tradicionais Feiras do Ano, da Roupa Velha e das Cebolas são alguns dos principais motivos para visitar esta feira, que espera, por isso, continuar a crescer.
Os visitantes podem, então, encontrar 43 expositores institucionais, ligados ao comércio, indústria e serviços; 24 de artesanato; seis de doçaria; dois postos de café; 10 espaços de maquinaria agrícola e automóvel; 44 da mostra agrícola e espaço rural; e, ainda, 18 de “comes e bebes”.
O estacionamento foi, também, pensado pela Câmara Municipal de Montemor-o-Velho, que na área envolvente à feira disponibiliza seis parques de estacionamento, além de todas as comodidades para qualquer visitante, seja a disponibilização de fraldários, o acesso a todo o recinto para pessoas com mobilidade reduzida ou o wi-fi gratuito em todo o espaço.
As entradas são, como sempre, de entrada livre, o que não permite fazer uma contabilização exacta dos visitantes.

O autarca de Montemor-o-Velho referiu, contudo, que no ano passado, apenas em dois dias chegaram às 30 000 pessoas.
O orçamento da edição deste ano subiu, consideravelmente, devido à realização da gala final das “7 Maravilhas Doces”, da RTP. No total, o investimento foi de 350 000 euros, estando 100 000 afectos ao programa televisivo, mas a autarquia conseguiu apoio para cobrir metade desse valor.

Cartaz ecléctico atrai diferentes públicos
Um dos grandes objectivos da organização é atrair diferentes públicos, de várias faixas etárias e com diversos gostos musicais.
Para isso apostam num cartaz ecléctico, com personalidades sonantes da música nacional. Assim, pelo palco principal vão passar nomes como Sangre Ibérico (09), Fernando Daniel (11), Profjam e Spipinpurpp (12), José Cid (13) e Cuca Roseta (14).
Tendo em conta que este é um espaço que pretende dar as boas-vindas a todos, o último dia, 15 de Setembro (domingo), vai ser dedicado à família com um convidado muito especial que promete fazer as delícias dos mais novos: o Ruca.
O “pequeno rapazinho” vai até Montemor-o-Velho apresentar um ‘rockshow’, que promete muitas travessuras.
Sem esquecer que todas as noites, a partir das 00h00 ou 01h00, a animação continua com ‘Dj’s’, que prometem “dar música” aos mais resistentes.

A “prata da casa” tem também espaço no evento, com as actuações do fadista Mickael Salgado, no domingo (08); dos Baluarte, na segunda-feira (09); e a Filarmónica (FIRA), que “vai ao fado” com António Pinto Basto, no dia 10 de Setembro.

As novidades não vão faltar

O certame, este ano, abre em grande, no sábado (07), com a gala da finalíssima das “7 Maravilhas Doces de Portugal”, um evento de grande importância para o concelho que tem o seu Pastel de Tentúgal a concurso.
A autarquia pretende “provar que Montemor-o-Velho é, definitivamente, um concelho doce, não apenas na gala das 7 Maravilhas, mas, também na tenda da doçaria regional”, onde promete tentações sem fim.
A gala, que será transmitida em directo pela RTP na noite de sábado (a partir das 21h45), será antecedida de um programa especial, durante todo o dia (entre as 10h00 e as 19h00), a partir do recinto da Feira do Ano| Festas Concelhias.
Emílio Torrão, presidente da Câmara Municipal, confessou que “não poderia ter deixado de lutar por trazer a final das ‘7 Maravilhas’ para Montemor-o-Velho”, admitindo que o processo foi negociado com a RTP “até ao último cêntimo”. O autarca agradeceu, entretanto, à Rádio Televisão Portuguesa por ter acreditado “na organização de Montemor”, esperando o édil que as expectativas “não sejam defraudadas”.
A promoção e a notoriedade do pastel de Tentúgal são, para Emílio Torrão, uma pedra basilar para outras duas iniciativas futuras: a de Coimbra – Região Europeia da Gastronomia 2021 e a de Coimbra – Capital Europeia da Cultura 2027.
“Uma região forte é um desígnio pelo qual sempre lutarei, acreditando sempre na força dos 19 municípios da Comunidade Intermunicipal da Região de Coimbra”, afirmou o socialista, sublinhando que “quantos mais eventos tiver a região, melhor para todos e para Montemor”.
Nesse âmbito, a inauguração da feira (sábado, pelas 19h00) será feita pelo mágico conimbricense Luís de Matos, em representação da candidatura de Coimbra a “Capital Europeia da Cultura 2027”.
Mas as novidades não ficam por aqui. Nesta edição, para além da grande animação musical, a organização pretende transformar o evento numa mostra da cultura e história do concelho.
Assim, a “eira da pedra” vai ser um dos locais com várias iniciativas programadas que prometem desvendar algumas das tradições ligadas ao mundo rural.
E para os mais jovens, que são sempre bem-vindos a esta feira, terão disponíveis oficinas, como por exemplo a de robótica, onde pais e filhos podem construir e programar robots.
Sem esquecer ninguém, também os seniores têm lugar de destaque que, através do programa “Seniores em Movimento”, vão organizar um desfile de trajes antigos.

 

Leia mais sobre a Feira do Ano- Festas Concelhias na próxima edição do “Campeão”, esta quinta-feira (05)

WP Facebook Auto Publish Powered By : XYZScripts.com