Coimbra  14 de Junho de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Mobilidade: Presidente da Lousã agastado com o atraso do Metro

7 de Março 2017 Jornal Campeão: Mobilidade: Presidente da Lousã agastado com o atraso do Metro

O presidente da Câmara da Lousã reclamou, ontem (06), a “rápida criação das condições” para a concretização do projecto do Sistema de Mobilidade do Mondego (Metro de superfície).

A tomada de posição de Luís Antunes (PS) prende-se com mais um adiamento, para o final de Março, da entrega ao Governo de um estudo do Laboratório Nacional de Engenharia Civil (LNEC).

Segundo o Ministério da tutela, o LNEC solicitou o prolongamento do prazo para a conclusão do trabalho, tendo em conta a complexidade, a necessidade de aprofundamento das análises de custo – benefício já existentes e a consolidação da estrutura de financiamento com vista à candidatura do projecto a fundos da União Europeia.

Luís Antunes faz notar que “já se arrasta há demasiado tempo a implementação de uma solução de transporte que sirva, com qualidade, os cidadãos e confira maior atractividade à região”.

“Depois de bastante tempo sem qualquer desenvolvimento”, assinala o autarca, o primeiro Governo de Passos Coelho decidiu encomendar um estudo ao LNEC com o objectivo de aferir a viabilidade de implementação de soluções alternativas de transporte, cujas conclusões só foram conhecidas no final de 2015.

O actual Executivo definiu que apresentaria os resultados desse trabalho até 31 de Janeiro de 2017, fez deslizar o prazo para 28 de Fevereiro e acena, agora, com a data de 31 de Março.

O impasse sobre a concretização do projecto do Sistema de Mobilidade do Mondego prevalece desde a vigência do segundo Governo de José Sócrates.