Coimbra  23 de Setembro de 2020 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Miranda do Corvo exige a reposição das carreiras suprimidas pela Transdev

8 de Junho 2020 Jornal Campeão: Miranda do Corvo exige a reposição das carreiras suprimidas pela Transdev

A Câmara Municipal de Miranda do Corvo exigiu, hoje, através de ofício enviado à Transdev, a reposição integral de todas as carreiras e horários que servem o concelho.

O alerta do cancelamento das carreiras surgiu da parte da CDU, já na semana passada, sublinhando que os autocarros não circulariam mesmo depois de terem sido vendidos os passes. Os populares chegaram mesmo a ir queixar-se à Assembleia de Freguesia, na sexta-feira (05), pedindo apoio para uma resolução do problema.

Na altura a CDU considerou que o cancelamento dos transportes era “uma ofensa à Freguesia, aos utentes e a toda a sua população, quer sejam utentes regulares com passe, quer seja para quem precisa do transporte um dia por outro e compra o seu bilhete a bordo”. O partido apontou, assim, o dedo à empresa responsável – a Transdev – por “à boleia” do novo coronavírus, “ter cancelado todas as carreiras para Lorvão – a sede de freguesia – embora tenha continuado a vender os passes para Chelo e Lorvão, deixando as pessoas a pé na Rebordosa, perante o silêncio das entidades locais (Junta de Freguesia e Câmara) que têm a obrigação de defender as suas populações, que até lhes fez chegar um abaixo-assinado a exigir soluções”.

Já esta segunda-feira, quando se inicia a segunda semana em que os passageiros continuam sem autocarros, obrigando-os “a fazer uma parte do percurso a pé para apanhar autocarros que, segundo se queixam, levam gente a mais e com passageiros de pé”, a Câmara Municipal veio tomar uma posição.

O presidente da câmara, Miguel Baptista, considerou a decisão de cancelar os autocarros como “incompreensível” e que “está a prejudicar gravemente a população de Miranda do Corvo”.

No ofício, o autarca reconhece que a decisão tomada pela Transdev em período de emergência foi compreensível, mas lamenta que, “à data de hoje, ainda não tenham sido repostas na íntegra todas as carreiras e horários existentes”.

“Encontramo-nos já numa fase de desconfinamento, com a esmagadora maioria da população de regresso aos seus locais de trabalho, a qual está a ser gravemente prejudicada com a falta de transporte público de passageiros”, diz o presidente da câmara.

Miguel Baptista refere, ainda, que é “contraproducente” a decisão tomada pela empresa de nas linhas activas “concentrar apenas em dois horários, um de manhã e outro ao final da tarde, todos os utentes do transporte”.

O autarca realça, também, que “esta é uma situação que atinge todas as freguesias do concelho, pedindo desta forma urgência na correcção desta situação por parte da Transdev.

A CDU revela, hoje, em comunicado que também em Penacova, a Assembleia Municipal aprovou, por unanimidade, uma moção de apoio a esta causa, exigindo a reposição das carreiras.