Coimbra  22 de Abril de 2021 | Director: Lino Vinhal

Semanário no Papel - Diário Online

 

Miranda do Corvo aprovou Plano de Valorização Económica e Social

5 de Março 2021 Jornal Campeão: Miranda do Corvo aprovou Plano de Valorização Económica e Social

A Câmara Municipal de Miranda do Corvo aprovou, hoje (05), o Plano de Valorização Económica e Social covid-19 com uma dotação de 250 000 euros, divida em cinco de apoios.

O documento, aprovado por unanimidade, prevê medidas extraordinárias de apoio às famílias, empresas e associações, incentivo à construção e reabilitação urbana e campanha de valorização territorial.

“Cada um destes eixos de actuação deve ser alvo de medidas específicas a aprovar na próxima sessão de Câmara Municipal, com a devida cabimentação, termos e condições”, disse o presidente da autarquia, Miguel Baptista, à agência Lusa.

De acordo com o plano, os apoios às famílias têm inscrita uma dotação de 120 000 euros e às micro e pequenas empresas 100 000, em complemento a outras medidas municipais e nacionais já em vigor.

No caso do apoio às famílias, o autarca Miguel Baptista antecipou que a Câmara vai atribuir, a partir do desconfinamento e até final do ano, um cheque-família para agregados em situação de vulnerabilidade.

Para apoio às associações culturais e desportivas, o documento reserva 30 000 euros para fazer face aos encargos fixos de estrutura.

A autarquia vai atribuir, também, um incentivo à construção e reabilitação urbana através de uma “redução substancial ou isenção” das taxas e licenças municipais ainda a partir deste mês.

O Plano de Valorização Económica e Social covid-19 inclui, ainda, uma campanha de valorização territorial de Miranda do Corvo como destino turístico de excelência, ligado à natureza, património e gastronomia, bem como para atracção de novos residentes e empreendedores.

Segundo Miguel Baptista, desde o início da pandemia da covid-19 o Município já disponibilizou mais de 350 000 euros, entre despesas e perda de receita, em aquisições de equipamento de protecção individual e comunitário, atribuição de subsídios extraordinários a instituições, reforço de apoio aos Bombeiros Voluntários e do Fundo de Emergência Social e redução de tarifas fixas no abastecimento de água e saneamento.